PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

VCG tem até às 17h para pagar salários atrasados

Ponta Grossa

15 de abril de 2021 10:20

Da Redação


Relacionadas

Urgente: PG fica sem transporte coletivo nesta sexta

SMCSP promove ação de doação de sangue e plasma

Greve acentua a crise no transporte público de PG

Probel Colchões tem ofertas especiais no mês das mães
Lojas poderão ter ‘Selo’ de local seguro contra a covid-19
Covid: PG registra mais dois óbitos e 127 infectados
Casas Coelho preparam super promoções para o Dia das Mães
Em Ponta Grossa, 50% da frota está operando. Foto: arquivo | aRede
PUBLICIDADE

A crise do transporte público segue sem um desfecho em Ponta Grossa. O pagamento dos salários atrasados devem acontecer até o fim da tarde desta quinta-feira (15).

Termina às 17h de hoje (15) o prazo estipulado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para que a Viação Campos Gerais realize o pagamento dos salários atrasados aos funcionários do transporte público. A ordem judicial foi emitida pelo desembargador Célio Horst Waldraff na última terça-feira (13). Os trabalhadores receberam somente 50% do valor referente a fevereiro e ainda não receberam o salário de março.

“Em face disso tudo, e na medida em que esgotado o limite de tolerância relativamente à inadimplência salarial da empresa, DETERMINO o cumprimento da decisão liminar proferida na ACC 0000009-56.2021.5.09.0678, de pagamento dos salários atrasados, no prazo de 48h, e atendimento ao contido na norma coletiva de pagamento das verbas vincendas – salário até o 5º dia útil e até o dia 25 do cartão alimentação, com a pena já aplicada de multa diária de R$ 10.000,00”, conforme decisão judicial.

O Sintropas, sindicato que defende a classe dos trabalhadores, informa que a frota continuará circulando com 50% da capacidade, até que haja a efetivação dos pagamentos. "Caso não haja o pagamento, as punições e decisões ficam por parte do Tribunal Regional do Trabalho. Como existe uma determinação para que o sistema funcione com 50% da frota nas ruas, nós respeitaremos e manteremos a mobilização", disse Luizão Oliveira, presidente do sindicato. 

A redação do Portal aRede entrou em contato com a assessoria da empresa, que informou que não há novidades sobre o assunto. 

PUBLICIDADE

Recomendados