PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Presidente da AMPG defende ‘kit-covid’ na Câmara

Ponta Grossa

19 de abril de 2021 17:20

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Obras físicas da fábrica de malte são iniciadas em PG

Colégio Integração arrecada brindes para festa julina em PG

CMEI Vivaldo Sasse será inaugurado nesta terça em PG

Novos semáforos são instalados na região central
Rottas levará condomínios clubes para a 18ª Expoimóveis
Ambev oferta vagas exclusivas para mulheres em PG
Vereadores processam Stocco por declaração na ‘CPI da VCG’
Francisco Barros é presidente da Associação Médica de Ponta Grossa. Foto: Luiz Lacerda/CMPG
PUBLICIDADE

Médico expôs o porquê de defender o uso de medicamentos em um “tratamento imediato”, além de responder dúvidas de vereadores

O presidente da Associação Médica de Ponta Grossa (AMPG), Francisco Pereira de Barros Neto, participou da ‘Tribuna Livre’ da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), nesta segunda-feira (19). O médico defendeu o uso do ‘kit-covid’ na cidade, Projeto de Lei 035/2021 que foi aprovado pela Casa de Leis. Em entrevista para o Portal aRede, em 23 de março, Francisco já havia indicado o seu posicionamento.

Segundo o médico, o “tratamento imediato” tem dividido, também, a classe médica. “Há médicos que falam que os remédios não têm efeito e outros, baseado em trabalhos e relatos de pessoas que usaram os medicamentos, dizem que funciona”, disse, durante a ‘Sessão Ordinária’ de hoje (19). Além disso, Francisco afirmou que “esse tipo de tratamento é válido. A gente quer que as pessoas não fiquem com casos graves”.

Os vereadores também puderam tirar dúvidas com o médico, que é formado há 34 anos. Uma delas foi do parlamentar Geraldo Stocco Filho (PSB), o qual questionou o porquê de especialistas, ao redor do mundo, discordarem sobre o uso dos medicamentos. “Como disse, existem trabalhos que dizem que funciona e outros não. Não vi, até agora, algo dizendo que os remédios acabam influenciando negativamente a doença”, explicou.

Ao fim de sua fala, o médico ressaltou que “você usar o medicamento não quer dizer que você está salvo. Não fica imune aos vírus. Isso vem através da vacina. A principal ação é na prevenção”, conclui Francisco, presidente da AMPG.

Aprovação

O PL foi aprovado, em segunda discussão, na tarde desta segunda-feira (19). Dessa forma, o projeto de lei segue para sanção ou veto da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). Clique aqui para saber como foi a discussão dos parlamentares.

PUBLICIDADE

Recomendados