PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Caic-UEPG lamenta falecimento de Jandira Soares

Ponta Grossa

19 de abril de 2021 19:52

Da Redação


Relacionadas

Cinema Drive In exibe Minha Mãe é uma Peça no domingo

Acipg emite posicionamento a respeito do pedágio

PG garante R$ 30 mi da Caixa para retomada de obras

Homem é atropelado por carro em rua do bairro Nova Rússia
Ciclista fica ferido ao bater em moto no Santa Paula
Hamburgueria de PG inova e promove 'Noite do Karaokê'
Pesquisa da UEPG aponta queda no preço da banana
Foto: Arquivo Pessoal
PUBLICIDADE

 Jandira tinha 61 anos e deixa marido, filho e netos

É com pesar que a Universidade Estadual de Ponta Grossa, por meio do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (Caic-UEPG), comunica o falecimento da servidora Jandira de Oliveira Soares, nesta segunda-feira (19). Jandira tinha 61 anos e deixa marido, filho e netos. O velório acontece em Jaguariaíva, assim como o sepultamento, na terça (20), às 13h30.

Jandira estava à vontade em meio aos livros. Trabalhava como funcionária de serviços gerais no Caic, mas seu coração pertencia, mesmo, à biblioteca da escola, onde atendia a crianças, colegas de trabalho e pesquisadores com carinho e atenção.

“Foi com muito pesar e tristeza que recebemos, no dia de hoje, a notícia do falecimento da nossa querida Jandira”, lamentou a diretora do Caic, professora Audrey Pietrobelli. “Colaboradora do Caic há vários anos, Jandira era querida por professores, alunos, pais e colegas de trabalho. Com sua presença marcante, seguia nos contagiando com seu dinamismo, entusiasmo, alegria e, sobretudo, amor pelo Caic. Fará muita falta!!!”.

“Sei o quanto ela amava e era grata à UEPG”, garante a amiga, Luciana Cristina de Oliveira, com quem Jandira trabalhou desde a entrada na instituição, em 2010. Com carinho e amor, ajudou a reestruturar a biblioteca da escola, o que para ela foi uma realização pessoal. “Somente nos resta a lembrança do tempo muito bom que trabalhamos juntas. Ela era uma pessoa fantástica, exigente, mas correta. Para mim foi uma ‘mãezona’, me fez ficar mais forte, grande amiga e conselheira”.

“Funcionária sempre muito presente, caprichosa, fazia sempre tudo com zelo e amor pela escola”, enaltece a companheira de trabalho Rosiane Machado da Silva, diretora da Escola Reitor do Caic. “Um dos seus traços mais marcantes era a sua predisposição para ajudar os colegas com quem trabalhava e quem estava por perto”, se despediu a professora Cristina Ferreira, em uma rede social.

Com informações da Assessoria de Imprensa da UEPG

PUBLICIDADE

Recomendados