PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Adiado o júri do motorista que atropelou e arrastou idoso

Ponta Grossa

20 de abril de 2021 10:43

Da Redação


Relacionadas

Trabalhador sofre para chegar ao emprego em PG

Transporte coletivo de Ponta Grossa é 100% paralisado

SMCSP promove ação de doação de sangue e plasma

Greve acentua a crise no transporte público de PG
Probel Colchões tem ofertas especiais no mês das mães
Lojas poderão ter ‘Selo’ de local seguro contra a covid-19
Covid: PG registra mais dois óbitos e 127 infectados
Foto:
PUBLICIDADE

A pedido do Ministério Público o júri popular de Eder Andrade, acusado de matar o aposentado Rubens Krum em 2014, foi transferido para agosto  

O motorista Eder Andrade, apontado como responsável por atropelar e matar o aposentado Rubens Krum em 2014, seria julgado hoje (20), mas a pedido do Ministério Público a data do júri popular foi transferida para o dia 10 de agosto, com início às 8h30.

O Ministério Público alega que, em função da pandemia, este não é o momento para realização de um júri popular. A nova advogada de defesa do réu, Regiani Araújo Ferreira, que assumiu recentemente o caso também teria pedido um prazo maior para estudar o processo.

O advogado que representa a família da vítima, Rudolf Christensen, disse que não têm dúvidas sobre a condenação do acusado e espera a pena máxima de 30 anos. “A gente quer fazer justiça o quanto antes e quanto mais demora, mais aumenta o sofrimento da família. No entanto, precisamos respeitar a decisão judicial”, comenta Rudolf.


Relembre o caso

O acidente aconteceu em agosto de 2014, nas imediações do Hospital Bom Jesus, na Nova Rússia. O inquérito mostra que a vítima foi morta após ser atropelada quando atravessava a rua na faixa de pedestres - Eder dirigia uma caminhonete Dodge Dakota no momento do atropelamento. Segundo o inquérito, o idoso ficou preso no veículo e foi arrastado por mais de 500 metros de distância e caiu do veículo apenas na rua Coronel Generoso Martins de Araújo, já sem vida.

"Esse foi um caso de muita repercussão e causou muita dor à família. O seo Rubens era uma pessoa muito querida e sua morte deixou uma lacuna na vida dos familiares. Esperamos que agora a decisão do júri dê uma resposta definitiva aos familiares e também à sociedade", diz Rudolf.

PUBLICIDADE

Recomendados