PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Decisão da vacina Sputnik V não afeta planejamento de PG

Ponta Grossa

27 de abril de 2021 19:45

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Câmeras flagram acidente em avenida; veja vídeo

Homem recebe ‘voadora’ na área central de PG

PG recebe repasses de quase R$ 150 mi do Estado neste ano

Simepar alerta para geada em PG nesta sexta-feira
Homens são detidos após furto em loja na Vicente Machado
Advogada de PG é ‘espionada’ em banheiro de posto
Albergue de PG recebe o nome Maria Isabel Ramos Wosgrau
Assessoria da Prefeitura disse que não formalizou nenhum convênio ou intenção de compra do imunizante. Foto: Arquivo/aRede
PUBLICIDADE

Prefeita Elizabeth Schmidt (PSD) havia conversado, em 23 de março, com o Fundo Soberano Russo para a aquisição do imunizante

A Diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitou, na última segunda-feira (26), a importação e uso da vacina russa Sputnik V pelo Brasil. A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) havia conversado, em 23 de março, com o Cônsul da Federação Russa em Curitiba, Acef Said, para buscar parcerias para aquisição do imunizante. Dessa forma, a decisão da Anvisa poderia afetar o planejamento da cidade de Ponta Grossa e, por exemplo, atrasar o processo de imunização dos ponta-grossenses. Apesar disso, o anúncio de ontem (26) não atrapalhará os planos da PMPG.

Como comentado acima, em 23 de março (mais informações aqui), a prefeita Elizabeth Schmidt (PSD) participou de uma reunião para parcerias nas áreas da saúde, cultura e educação. “Sobre a saúde, vamos iniciar um diálogo com o Fundo Soberano Russo para aquisição da vacina Sputnik V. É mais um passo que estamos dando para buscar soluções que aceleram a vacinação em Ponta Grossa”, disse a líder do Executivo, à época, via redes sociais.

Entretanto o Portal aRede questionou, nesta tarde de terça-feira (27), a assessoria de imprensa da PMPG se, nessa reunião, a cidade deu sinalização de compra do imunizante. “Não foi formalizado nenhum convênio ou intenção de compra”, explica a assessoria. Além disso a Prefeitura afirmou que, mesmo com a decisão da Anvisa, o planejamento da cidade não será afetado. “O Município vem seguindo a estratégia de imunização e distribuição do Governo do Estado. As doses aplicadas aqui são as redistribuídas pela Secretaria da Saúde do Paraná (SESA). O planejamento tem sido feito com base nessa distribuição”, finaliza a assessoria.

Decisão da Anvisa

Os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária rejeitaram, por unanimidade, a importação e uso da vacina Sputnik V no Brasil. Dez estados estavam solicitando uma resposta da Anvisa, visto que gostariam de adquirir o imunizante. Após a análise dos documentos enviados pelo Instituto Gamaleya, da Rússia, a Agência definiu que não há informações suficientes que comprovem a segurança da aplicação da vacina na população brasileira.

Stocco conversa com representantes

Em 17 de março, o vereador da cidade de Ponta Grossa, Geraldo Stocco Filho (PSB), se reuniu (clique aqui para mais informações) com representantes da vacina no Brasil. O encontro teve como objetivo dialogar sobre a aquisição do imunizante para o município ponta-grossense. Na ocasião, houve aceno positivo do representante da empresa russa e, assim, o parlamentar encaminhou o contato aos gestores municipais da saúde de Ponta Grossa.

PUBLICIDADE

Recomendados