PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PG estuda pagar R$ 2,6 milhões à VCG por dias parados

Ponta Grossa

10 de maio de 2021 16:12

Da Redação


Relacionadas

Santa Casa realiza 1ª Passeio Ciclístico do Bem em PG

Adesão à iniciativa 'Nota PG' encerra nesta terça-feira

Carreta da Alegria retorna para alegrar os ponta-grossenses

Prefeitura inicia obras em 16 trechos de vias em Uvaranas
Prefeitura inicia revitalização no Balneário Rio Verde
Carreata de Natal da Xicória percorre hoje as ruas de PG
PG apresenta projeto para modernizar iluminação pública
Presidente da AMTT, Celso Cieslak. Foto: Arquivo/aRede
PUBLICIDADE

Informação é do presidente da AMTT de Ponta Grossa, Celso Cieslak

O entrave no transporte coletivo de Ponta Grossa é o assunto tratado pelo jornalista Eduardo Farias no blogdodoc.com nesta segunda-feira (10), em entrevista com o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), Celso Cieslak.

Na conversa, o presidente da AMTT expõe o quadro financeiro da concessionária, a Viação Campos Gerais (VCG), diante dos impactos da pandemia e também em decorrência dos reajustes da passagem autorizados desde 2018.

A VCG alega que teve prejuízo na casa dos R$ 50 milhões com reajustes menores do que a empresa afirma ser o correto e com a pandemia. 

Entretanto, segundo Cieslak, somente o valor correspondente aos 18 dias em que a empresa ficou impedida de operar, diante do decreto do lockdown para enfrentamento da covid-19, e que deve ser arcado pela Prefeitura. Esse valor deve ficar próximo dos R$ 2,6 milhões.

Para Cieslak, com a autorização do repasse de montante à empresa, deve ser viabilizado o pagamento dos salários dos funcionários, que estão em greve pela falta de quitação.

Nos próximos meses, com a flexibilização das restrições à circulação de pessoas no Município, Cieslak entende que a empresa conseguirá reequilibrar as suas contas e encerrar o entrave com os funcionários.

Uma audiência na Justiça do Trabalho está marcada para a próxima quarta-feira (12), na tentativa de conciliação entre a VCG e os funcionários. Assim, a expectativa é de que o Município anuncie o aporte dos R$ 2,6 milhões referentes aos dias de transporte parado diante do lockdown nesta terça-feira (11), para que a empresa use os recursos para pagar os empregados.

O presidente da AMTT fala ainda como estão as discussões sobre o pedido da empresa para o reajuste da passagem, que deve pautar as ações do Conselho Municipal do Transporte Coletivo nos próximo meses.

Com informações: Blog Do Doc.

PUBLICIDADE

Recomendados