PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

VCG será indenizada em mais de R$ 1,7 milhão em PG

Ponta Grossa

19 de maio de 2021 18:06

Rodolpho Bowens


Relacionadas

‘CEI da Saúde’ inicia oitivas com auditores do Estado do Paraná

Caminhada de encerramento do Outubro Rosa ocorre na sexta

Coletivo do PSOL apresenta PL sobre cotas raciais em PG

PG realiza nova etapa da 2º dose de Pfizer
1º Encontro Vida na Prestes resgata brincadeiras
Geraldo Stocco aciona MP pela quebra de sigilo fiscal da VCG
App de delivery 99Food abre cadastros em Ponta Grossa
Votação aconteceu em duas sessões, nesta quarta-feira (19). Foto: Luiz Lacerda/CMPG
PUBLICIDADE

15 vereadores votaram a favor da indenização e três foram contrários; prefeita Elizabeth tem 15 dias úteis para sancionar ou vetar o projeto de lei

A Viação Campos Gerais (VCG), empresa responsável pelo transporte público coletivo de Ponta Grossa, será indenizada em R$ 1.718.363,37 pelos 18 dias que ficou paralisada por conta dos decretos municipais nº 18.765 e nº 18.797, ambos deste ano. O serviço ficou parado, em sua totalidade, de 18 de março a 4 de abril de 2021. O Projeto de Lei (PL) 086/2021, de autoria da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) para amenizar a crise no sistema público, recebeu 15 votos favoráveis e três contrários do Legislativo. Agora, a prefeita Elizabeth Schmidt (PSD) tem 15 dias úteis para sancionar ou vetar a proposta.

O PL buscou autorização da Casa de Leis para que o Executivo celebre um acordo nos autos nº 0008545-49.2021.8.16.0019, em trâmite na 2ª Vara da Fazenda Pública, da Comarca de Ponta Grossa, com a VCG. Esse acordo, assim que firmado, possibilitará que os mais de R$ 1,7 milhão sejam destinados para a concessionária – em forma de indenização -, para que, na sequência, acerte os salários atrasados do mês de abril. Dessa forma, pondo um fim à greve no transporte público coletivo da cidade ponta-grossense.

Essa quantia precisa ser entregue aos funcionários até a próxima sexta-feira (21). Caso isso não ocorra, o Sintropas, sindicato que defende a classe dos trabalhadores, afirmou que paralisará novamente o transporte público do município. Ressalta-se que os mais de R$ 1,7 milhão não precisarão ser devolvidos pela VCG aos cofres da cidade de Ponta Grossa (entenda a situação aqui).

Veja como foi a votação

O PL foi votado em regime de urgência e aprovado nesta quarta-feira (19), em duas discussões, na ‘Sessão Extraordinária’ convocada pela CMPG. Os vereadores que foram favoráveis ao projeto de lei foram: Daniel Milla (PSD), Divo (PSD), Dr. Erick (PSDB), Ede Pimentel (PSB), Emerson Sansana – vereador substituto (MDB), Felipe Passos (PSDB), Geraldo Stocco (PSB), Filipe Chociai (PV), Dr. Zeca (PSL), Leandro Bianco (Republicanos), Léo Farmacêutico (PV), Missionária Adriana (SD), Pastor Ezequiel (Avante) e Paulo Balansin (PSD).

Foram contra o PL os parlamentares: Izaías Salustiano (PSB), João Maciel – vereador substituto (PSC) e Josi do Coletivo (PSOL). O vereador Valtão (PRTB), mesmo estando liberado para participar das sessões da Câmara, não esteve presente.

A maioria dos parlamentares mostrou ser contra qualquer tipo de repasse para a VCG e enfatizaram serem a favor dos funcionários. Já os vereadores que foram contrários ao PL afirmaram que dinheiro público não poderia ser repassado para a concessionária e que a indenização não resolverá a crise que o transporte público vive.


Assuntos semelhantes:

Câmara Municipal oficializa pedido para criar ‘CPI da VCG’.

Na Câmara, diretor fala em ‘desiquilíbrio brutal’ na VCG.

PG deve ter 70% dos ônibus a partir de segunda.

PUBLICIDADE

Recomendados