PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Defesa alega inocência de Passos em ação civil do MP

Ponta Grossa

28 de maio de 2021 10:49

Da Redação


Relacionadas

Angelo Pilatti quer valorização dos advogados na OAB-PG

Grave acidente na BR-376 mobiliza bombeiros

PG ganha 1º lugar no Prêmio Estadual de Microcrédito

Prefeitura realizará auditoria na Viação Campos Gerais
Passagem de ônibus sobe para R$ 5,50 a partir de sexta
Homem é atacado por abelhas em PG e fica em estado grave
Nova tarifa do ônibus deve sair a qualquer momento
Parlamentar é acusado suposta prática de ‘rachadinha’, assédio sexual e teve o bloqueio de R$ 50 mil determinado pelo MP Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Parlamentar é acusado suposta prática de ‘rachadinha’, assédio sexual e teve o bloqueio de R$ 50 mil determinado pelo MP

A defesa do vereador Felipe Passos (PSDB) alega que ele é inocente das acusações de suposta prática de ‘rachadinha’ e assédio sexual. A juíza Luciana Virmond Cesar, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Ponta Grossa, determinou na noite da última quinta-feira (28) o bloqueio de R$ 50 mil do vereador em ação proposta pelo Ministério Público de improbidade administrativa.

Segundo o advogado Fernando Madureira que representa Passos, ele é inocente das acusações que foram denunciadas na ação civil pública proposta pelo MP no início deste ano, o qual foi levado a erro por pessoas inescrupulosas que tentam prejudicar o parlamentar politicamente.

Madureira afirmou que "a ação civil pública vai ser julgada improcedente porque não houve por parte de Felipe qualquer exigência de dinheiro de servidores do Poder Executivo como contraprestação pela nomeação ou indicação a cargos. E ainda, que os relatos de que o Vereador assediava moral e sexualmente os servidores subordinados é um absurdo não passando de mentiras fabricadas por pessoas que desejavam tirar vantagem do Vereador", comentou.

Madureira disse também que o vereador tem um patrimônio modesto e compatível com sua renda, e parte dos seus rendimentos são direcionados a ajudar os mais necessitados e que o vereador jamais obteve qualquer vantagem patrimonial de origem ilícita ou causou prejuízo ao erário.

Quanto à indisponibilidade de bens do patrimônio do Vereador no importe de R$50 mil determinada pela Justiça, o advogado disse "que irá apresentar defesa no prazo de 15 dias e que após o Pode Judiciário examinar os documentos que serão juntados ao processo deve ser revogada a medida cautelar de bloqueio dos bens do parlamentar".

Por fim, o advogado afirmou que Felipe Passos está tranquilo "porque é totalmente inocente das acusações e disse que vai entrar na Justiça contra as pessoas que acusaram levianamente o Vereador para que sejam responsabilizadas civil e criminalmente", finaliza Fernando Madureira.

PUBLICIDADE

Recomendados