PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Felipe se defende das acusações e repudia cassação

Ponta Grossa

01 de junho de 2021 13:12

Da Redação


Relacionadas

Prefeitura de PG aplica 2ª dose da Coronavac na terça-feira

Instituto Pedro Gaspar realiza ação ‘Anjos do Bem’ em PG

Indivíduo morre esfaqueado na região central de PG

Homem morre atropelado por trem neste sábado em PG
Presidente do PSOL vem a PG na próxima semana
PG volta a obrigar o uso de máscaras em ambientes abertos
Leilão solidário de vinhos arrecada R$ 54 mil em PG
Vereador Felipe Passos (PSDB) se defende das acusações Foto: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Advogado pede se aguarde a decisão da Justiça e somente após eventual condenação do vereador é que deve ser instaurado procedimento junto à Câmara

O advogado Fernando Madureira, que representa o vereador Felipe Passos (PSDB) disse que o pedido de cassação do mandato do parlamentar é descabido, pois não se trata de fato novo. Os fatos descritos na ação civil pública movida pelo Ministério Público são os mesmos que já foram examinados e arquivados pela Corregedoria da Câmara Municipal de Ponta Grossa.

‘No caso é prudente que se aguarde a decisão da Justiça e somente após eventual condenação do vereador é que deve ser instaurado procedimento junto à Câmara Municipal para apurar falta de decoro do parlamentar’, comenta o advogado.

Madureira afirmou que não há provas de que o Felipe tenha exigido dinheiro de servidores do Poder Executivo como contraprestação pela nomeação ou indicação a cargos. ‘Os depoimentos apresentados ao MP são de pessoas que tentaram auferir vantagens e desejavam permanecer encostadas no serviço público e quando foram afastadas pelo Vereador passaram a fazer uma campanha difamatória contra o mesmo’, assinala.

Segundo o advogado, as acusações de que o vereador assediava moral e sexualmente os servidores subordinados são absolutamente falsas. ‘E causa estranheza que somente após serem dispensados dos cargos os marmanjos venham dizer que foram assediados, pois o vereador tem deficiência física e poderiam aqueles facilmente repelir eventual assédio, se é que ocorreu’, questiona.

 

 

PUBLICIDADE

Recomendados