PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Veja mais imagens do megaprojeto Smart City em PG

Ponta Grossa

04 de junho de 2021 15:58

Da Redação


Relacionadas

Gaeco denuncia 26 por crimes contra Sanepar em PG

Homem agride ex-companheira com chutes e socos em PG

Blindado do 13º BIB atinge poste e muro de casa em PG

Adolescente foge, bate o carro e é detido com crack em PG
PG vacina hoje grupos prioritários de 25 a 50 anos
Homem não paga corrida e apanha de Ubers no Cará-Cará
Rapaz é preso com moto roubada em matagal no Boreal
PUBLICIDADE

Projeto consiste na construção de uma ‘cidade inteligente’ em Ponta Grossa, com características sustentáveis, onde será possível viver naquele espaço: estudar, trabalhar e ter lazer próximo de onde mora

 

Na última quarta-feira (2), o Portal aRede revelou mais detalhes do projeto da construção do megaempreendimento Smart City Ponta Grossa, ou seja, uma ‘Cidade Inteligente’ entre o Cará-Cará e o Distrito Industrial. O projeto foi atualizado e agora não é mais a RR Padrão que está à frente do empreendimento, mas sim a Executar Participações S/A, sediada em Curitiba. Um dos diretores da empresa entrou em contato com a reportagem do Portal aRede e Jornal da Manhã e confirmou que o investimento, estimado inicialmente em R$ 120 milhões, foi atualizado e agora está na casa dos R$ 200 milhões.

Como a reportagem já revelou, o conceito consiste na construção de uma cidade sustentável, de forma a ter tudo próximo, para evitar deslocamentos maiores: residências, instituições de ensino, pontos comerciais, empresas, indústrias de baixo impacto ambiental, hospital, entre outros. Assim, será possível estudar, trabalhar e viver próximo onde mora. O objetivo do projeto é construir um bairro planejado com uma visão diferente de loteamento, pautado pela máxima mobilidade urbana, segurança pública, sustentabilidade em consonância com o meio ambiente, fortalecendo a economia local em áreas específicas para a instalação de centros comerciais, centros empresariais, agregando comodidade e lazer aos moradores, reduzindo os custos de transporte. 

No quesito empresarial, haverá espaços para a implantação de galpões, armazéns digitais, parques tecnológicos, e indústrias de baixo impacto ambiental. Tudo em um projeto que contempla a separação de um centro comercial/empresarial, com ampla área de lazer; da parte ‘industrial’; de as áreas industriais, com essa divisão feita por cinturões verdes, com a preservação das margens do rio Cará-Cará. Dessa forma, segundo a empresa, será criada uma zona de amortecimento, diminuindo ao máximo os ruídos e as poluições entre a área industrial e demais áreas de convivência residenciais e comerciais.

Área

A área total do empreendimento é de 4.042.679,22 m², sendo que a maior parte desta área será destinada para lotes residenciais, no total de 1,13 milhão de m², e mais 692 mil m² de área para lotes industriais. As áreas de mata se aproximam de 1 milhão de metros quadrados: 554,6 mil m² de área de preservação permanente; 53,8 mil m² de vegetação nativa e mais 383,4 mil m² de área verde. O sistema viário irá ocupar 797 mil m², e outros 211,8 mil m² serão destinados a equipamentos comunitários e urbanos. Somente a área residencial é subdividida em 1.993 lotes diferentes.


PUBLICIDADE

Recomendados