PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

'Corredor Santana', de PG, deve ficar pronto no fim de outubro

Ponta Grossa

10 de junho de 2021 17:57

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Hospitais de PG lamentam morte do pediatra Luiz Cançado

Homem morre de frio em rua de PG; PM investiga o caso

Parque Vila Velha lança serviço para grupo de visitantes

Cirurgias de castração voltam a ser realizadas em PG
Deputado Aliel anuncia novos recursos para PG e região
Mais de dois mil contribuintes já aderiram ao Nota PG
Servidores do Samu cobram prefeita Elizabeth na Câmara
Obras ficaram paradas e retomaram na última semana. Foto: Mateus Pitela/aRede
PUBLICIDADE

Moradores da região cobram finalização da obra e relatam dificuldades com demora da Prefeitura

As obras do ‘Corredor Santana’, em Ponta Grossa, devem ser finalizadas no final de outubro deste ano. A informação é da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). O Portal aRede foi verificar a situação do local, que revitalizará a Rua Aristides Lobo, e pretende ser o principal ponto de acesso para o Lago de Olarias, além de trazer desenvolvimento comercial e mobilidade urbana para a região. Iniciada em 2019 e com um custo previsto de R$ 10 milhões, a conclusão da obra é cobrada por moradores da localidade, que relataram estresse por conta de toda a movimentação de maquinário e dificuldade de acesso às suas residências.

Promessa de campanha da prefeita Elizabeth Schmidt (PSD), as obras ficaram um tempo paralisadas e retomaram somente na última semana, após o aporte financeiro de R$ 30 milhões da operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal, por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). Parte desse dinheiro será utilizado para concluir as obras do ‘Corredor Santana’. No momento, segundo a assessoria de imprensa da PMPG, “foram retomados os serviços de contenção das margens do arroio Olarias, ao longo do Corredor Santana, com estrutura de gabiōes”, disse ao Portal aRede.

Moradores da região têm cobrado a Prefeitura pela conclusão das obras. Segundo Dirce, que está no local há mais de 40 anos, a conclusão do ‘Corredor Santana’ tem gerado estresse em sua rotina. “Está difícil, né. É tudo longe para a gente sair. Como eu tenho problemas nas pernas, para mim andar é difícil. Para sair para o centro é um sufoco, porque tenho que pegar o ônibus lá em cima, na Igreja São Judas Tadeu”, relata.

Outra ponta-grossense que solicita o término das obras é Mônica. “Está sendo estressante. A gente quer sair e não tem condição. No começo tinha muita poeira e agora piorou, porque pararam com a obra. O ônibus não passa aqui e a gente tem que pagar Uber. Está difícil”, lamenta.

Estrutura da obra

A realização da obra envolve todo um trabalho de pavimentação, com quatro faixas de 4,10 metros cada, sendo duas sentido bairro e duas contrário. Além disso, prevê a construção de uma Ciclofaixa nas proximidades do arroio, revitalização com a estabilização da margem do arroio e também trabalhos de paisagismo. Os R$ 30 milhões do Finisa são para importantes obras de infraestrutura em regiões como Ronda, Lagoa Dourada, Jardim Planalto, Leila Maria, Colônia Dona Luiza, Gralha Azul, Shangrilá e diversas outras. A operação de crédito, da Caixa, está em sua segunda fase.

A entrevista que o Portal aRede realizou com as moradoras pode ser assistida na íntegra clicando aqui.


Assuntos semelhantes:

PG garante R$ 30 mi da Caixa para retomada de obras.

Obras do Corredor Santana dependem da fase 2 do Finisa.

Prefeitura assinará R$ 30 mi do Finisa junto à Caixa.

PUBLICIDADE

Recomendados