PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

UPA Santa Paula passa a produzir seu próprio oxigênio

Ponta Grossa

14 de junho de 2021 13:21

Da Redação


Relacionadas

Ponta-grossenses participam do 13º Transcatarina na terça

Brinca Sesc oferece dia com atividades para crianças em PG

Delegada intima professor para depor no Nucria

Discussão entre casal termina com esposa esfaqueada em PG
PG gastará mais de R$ 840 mil com enfeites de Natal
SMCSP promove ação de saúde com servidoras
PG terá nova etapa da 2°dose da Astrazeneca
Com a mudança, a estrutura da UPA Santa Paula mudou o fluxo e a necessidade de insumos, como o oxigênio Foto: Prefeitura de Ponta Grossa
PUBLICIDADE

Com a instalação de uma Usina Elétrica de Oxigênio a Prefeitura tem economia de 67,17% com gastos nas compras de cilindros de O2

Desde o início da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Ponta Grossa, através da Fundação Municipal de Saúde (FMS), readequou os serviços de atendimento a população, centralizando o recebimento de pacientes com sintomas respiratórios, moderados e graves, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Paula. Com a mudança, a estrutura da UPA Santa Paula mudou o fluxo e a necessidade de insumos, como o oxigênio. Avaliando o atual cenário e focando em levar mais segurança para a população, o local iniciou a instalação de uma Usina Elétrica de Oxigênio, na manhã de hoje (14), passando a ser autossustentável na distribuição.

"Um grande avanço para as pessoas que usam o serviço  do local. Agora, os pacientes que necessitarem do oxigênio terão mais segurança no que diz respeito a garantir do abastecimento, pois antes havia o risco de ocorrer desabastecimento pela  distribuidora. A instalação da Usina de Oxigênio é um mais uma ferramenta para melhorar e agilizar o atendimento dos pacientes, aliviando trabalho de troca constante de cilindros", comenta a prefeita, Elizabeth Schmidt. Os pacientes que mais precisam do Oxigênio são os que utilizam os respiradores. 

A Usina de Oxigênio é alugada e passou por processo de dispensa licitatória. A UPA Santa Paula teve que  realizar algumas adequações estruturais para poder receber a Usina, uma delas foi reforçar a eletricidade. O local contará com essa estrutura por seis meses. O custo para manter o equipamento em funcionamento é de R$ 65 mil por mês, gerando economia de 67,17% nos recursos municipais. 

"Temos uma economia significativa com a instalação. Antes da pandemia, a UPA Santa Paula utilizava menos oxigênio, gerando um custo de  cerca de R$ 2 mil/mês. Com a pandemia o custo chegou a cerca de R$ 190 mil/mês. Agora, além de  mantermos a  qualidade e  agilidade, também  estamos economizando os recursos da Prefeitura", explica o presidente da FMS, Dr. Rodrigo Manjabosco. A intenção é ter uma Usina própria e que possa distribuir Oxigênio para as demais estruturas de  saúde Municipal. 

A FMS acredita que até o final desta semana a Usina Elétrica de Oxigênio já estará em pleno funcionamento. 

 

PUBLICIDADE

Recomendados