PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

MP requisita a votação das contas de Rangel e Jocelito

Ponta Grossa

15 de junho de 2021 09:42

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Homem é preso após agredir esposa na região de Uvaranas

Jovem que estava desaparecido é encontrado morto em PG

PM encontra 56 pedras de crack com auxílio de cão farejador

Motorista fica ferido após bater contra um poste em PG
Polícia prende dois homens por furto no bairro Órfãs
Em 23 anos, RodoNorte investe R$ 5 bilhões em obras no PR
Audiência Pública traz debate sobre Machismo Estrutural
Ex-prefeitos Marcelo Rangel e Jocelito Canto. Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Nos últimos acórdãos da Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Paraná, ambas as contas apresentavam irregularidades

As contas dos ex-prefeitos Jocelito Canto e Marcelo Rangel deverão ser votadas, nas próximas semanas, pela Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG). Tanto o processo como a conclusão do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE/PR) estão com a Casa de Leis e agora tramitam internamente no Legislativo. A prestação de contas dos ex-líderes do Executivo foi encaminhada para a Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização. Nas decisões mais recentes do TCE, ficou constatado que ambas as contas apresentavam irregularidades.

O Ministério Público do Paraná (MPPR) solicitou que a votação aconteça em breve, visto que as contas estão há tempo para serem votadas, é o que explica ao Portal aRede o vereador Paulo Balansin (PSD), presidente da Comissão. Os políticos envolvidos serão notificados e terão dez dias para apresentarem a sua defesa, por escrito. Após isso, será feito um decreto legislativo dizendo se a Comissão é favorável ou não ao TCE.

Tribunal afirma que há irregularidades

De acordo com o último ‘Acórdão de Parecer Prévio’ nº 445/20, de 17 de setembro de 2020, os membros da Primeira Câmara do TCE/PR, expediram parecer prévio “recomendando a irregularidade das contas do Sr. Marcelo Rangel Cruz de Oliveira como Prefeito de Ponta Grossa no exercício de 2017”, cita o documento. Na decisão também fala em “estornos de empenhos no montante de R$ 12.437.043,41 relacionados à despesa previdenciária que acabaram sensivelmente influenciar no cálculo das despesas com pessoal”. Votaram os conselheiros Fernando Augusto Mello Guimarães, José Durval Mattos do Amaral e Fabio de Souza Camargo.

Sobre a situação do ex-prefeito Jocelito, segundo o ‘Acórdão de Parecer Prévio’ nº 131/17, os membros da Primeira Câmara do TCE/PR recomendam o julgamento pela “irregularidade das contas referentes ao exercício de 1999, de responsabilidade do senhor Jocelito Canto”. A determinação de 11 de abril de 2017 teve a votação dos conselheiros Nestor Baptista e Fabio de Souza Camargo e do auditor Sérgio Valadares.

Inelegibilidade

Caso as contas de ambos os políticos forem recusadas pela Câmara Municipal, eles passam a ficar inelegíveis para as próximas eleições. Jocelito Canto foi prefeito da cidade ponta-grossense entre os anos de 1997 a 2000. Já Marcelo Rangel ficou na liderança do Executivo de 2012 a 2016 e depois foi reeleito de 2017 a 2020. A atual prefeita do Município é Elizabeth Schmidt (PSD), vice de Rangel durante o seu último mandato. Os ‘Acórdãos’ citados neste texto estão disponíveis para consulta pública no site do TCE/PR.

PUBLICIDADE

Recomendados