PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Chuvas adiam protesto contra Bolsonaro em Ponta Grossa

Ponta Grossa

19 de junho de 2021 18:15

Hurlan Jesus


Relacionadas

PG testa novos itinerários no transporte

PG receberá R$ 60 milhões para novo residencial

Prefeitura realiza obras de acessibilidade e asfalto

Prefeitura promove obras de pavimentação no Tropeiros
Mercado da Família estará aberto na segunda (26)
Igreja Adventista do 7ª Dia distribui roupas para carentes
PG reabre cinemas e delivery funcionará 24h
Em Curitiba teve manifestações contra o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro Foto: Eduardo Matysiak
PUBLICIDADE

Devido à forte chuva sobre Ponta Grossa e região dos Campos Gerais, o movimento foi adiado

A Frente Ampla Democrática de Ponta Grossa, teve que adiar a manifestação que iria ser realizado na tarde deste sábado, na Praça Barão de Guaraúna, contra o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido). O adiamento ocorreu devido à forte chuva sobre Ponta Grossa e região dos Campos Gerais.

Com o nome “O povo na rua, Bolsonaro a culpa é sua!”, a manifestação critica a forma como o Governo Federal vem combatendo a pandemia da covid-19, a qual já matou quase meio milhão de brasileiros. Além disso, o grupo pede a aceleração na campanha de vacinação contra o coronavírus. Em comunicado pelas redes sociais, os organizadores irão organizar outra data para o ato. 

Porém, em todo o Brasil, teve manifestações contrárias ao presidente da República. Não apenas nas capitais e cidades brasileiras, como também em cidades fora do país. Em Curitiba, o frio e a chuva não conseguiram impedir manifestantes de comparecer à Praça Santos Andrade, em frente à sede histórica da Universidade Federal do Paraná (UFPR), para protestar contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A maioria das pessoas que estavam no ato usavam máscara e evitaram aglomeração.

Na capital paranaense, duas das principais reivindicações eram a entrega de mais vacinas e o fim do uso da cloroquina para tratamento de pacientes com Covid-19. O medicamento não tem comprovação científica contra à doença, mas seu uso é amplamente defendido por Bolsonaro para um chamado “tratamento precoce”.

PUBLICIDADE

Recomendados