PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ex-membros da CPI do EstaR Digital são ouvidos na Câmara

Ponta Grossa

29 de junho de 2021 21:15

Da Redação


Relacionadas

PG volta a obrigar uso de máscaras em locais abertos

Prefeitura pede reintegração de posse de terreno invadido

GM encontra pé de maconha em casa abandonada

Corpo carbonizado é encontrado em bairro de PG
Esposa busca por marido desaparecido em PG
Provas do PSS são aplicadas hoje para 16 mil estudantes
'Empresa some' e PG segue sem enfeites de Natal
Oitivas aconteceram na Câmara Municipal de Ponta Grossa. Foto: Arquivo/aRede
PUBLICIDADE

Foram escutados os ex-vereadores Ricardo Zampieri, Vinicius Camargo e Guiarone de Paula, além do parlamentar Ezequiel Bueno (Avante)

As oitivas da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do “EstaR Digital” iniciaram nesta terça-feira (29) com o depoimento do vereador Ezequiel Bueno (Avante). Todos os cinco ex-membros da Comissão do EstaR, na legislatura de 2017/2020, foram intimados, na qualidade de testemunhas. Além de Bueno, Ricardo Zampieri, Vinicius Camargo, Guiarone de Paula e Walter de Souza.

Instituída através da do Requerimento n.º 137/2021, a Comissão possui a finalidade de investigar supostas irregularidades da empresa CIDATEC TECNOLOGIA E SISTEMAS LTDA.

No Plenário da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), quatro das cinco testemunhas foram inquiridas. O ex-parlamentar Walter de Souza não compareceu e se recusou a receber a intimação.

Eles prestaram esclarecimentos sobre o funcionamento e a fiscalização da CPI em relação ao contrato da CIDATEC com a Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). 

De acordo com a dinâmica estabelecida pelo presidente da CPI, vereador Izaias Salustiano (PSB), a relatora da Comissão, Josi do Coletivo (PSOL), e os demais membros, vereador Julio Kuller (MDB), Joce Canto (PSC) e Paulo Balansin (PSD) tiveram o tempo que julgaram necessário para questionarem os intimados.

Ouvir mais de um depoente num só dia talvez não seja o ideal. Porém, é preciso dar uma satisfação rápida à população e, caso o cronograma fosse diferente, poderia atrasar os trabalhos e diluir a força de cada oitiva.

Para o presidente Izaias Salustiano, os depoimentos foram esclarecedores. Ele conduziu a maior parte das perguntas às testemunhas. “O trabalho está apenas começando, ouviremos mais pessoas. A partir dos depoimentos cruzaremos as respostas das testemunhas com os conteúdos e tiraremos as próprias conclusões e, ao final, apresentaremos o relatório”, explicou.

Informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados