PSB de PG se posiciona sobre vereador Izaías Salustiano

Partido diz em nota que repudia “qualquer forma de agressão” e reforça que “os fatos sejam apurados na forma da lei”.

Vereador de Ponta Grossa, Izaías Salustiano (PSB).
Vereador de Ponta Grossa, Izaías Salustiano (PSB). -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Partido diz em nota que repudia “qualquer forma de agressão” e reforça que “os fatos sejam apurados na forma da lei”

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) se posicionou, nesta sexta-feira (16), sobre o caso do vereador ponta-grossense Izaías Salustiano (PSB) – ele é ligado ao partido. Em nota oficial, o PSB afirma repudiar “qualquer forma de agressão” e reforça que “esperamos que os fatos sejam apurados na forma da lei”. O parlamentar foi preso nessa madrugada acusado de violência doméstica contra Mirielle Antônia Costa, sua esposa. Ele foi encaminhado para a 13ª Subdivisão Policial de Ponta Grossa (13ª SDP) e liberado sob o pagamento de fiança.

Confira abaixo a nota:

“O Partido Socialista Brasileiro (PSB), diretório Ponta Grossa, repudia qualquer forma de agressão. Lamentamos profundamente a situação envolvendo o vereador. O PSB preza acima de tudo pelo respeito. Esperamos que os fatos sejam apurados na forma da lei”.

Delegado detalha prisão de vereador

O delegado da Polícia Civil, Fernando Jasinski, detalhou como tudo aconteceu. "Eles tiveram uma discussão e acabaram entrando em vias de fato. Ela sofreu lesões leves na região da boca. Diante deste contexto, que se aplica a Lei Maria da Penha, ele foi preso e na sequência arbitrado fiança. O valor foi pago e agora ele deverá responder em liberdade".

Jasinski afirma que o vereador relatou "algumas condutas relacionadas a convivente, que serão apuradas pela Polícia Civil".

Assuntos semelhantes:

Vereador Salustiano é preso acusado de violência doméstica.

Vereador emite nota sobre caso de violência doméstica em PG.

Mulher de Salustiano vai manter ação criminal.

Conteúdo de marca

Quero divulgar right