PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Romualdo não vê benefício em projeto que extingue AMTT

Ponta Grossa

24 de agosto de 2021 16:53

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Capotamento na BR-376 deixa quatro pessoas feridas

Homem esconde 'crack' na boca e acaba preso no Cará-Cará

Mudanças em lei encarecem casas populares de PG

Conheça os vencedores da Campanha ‘Magia do Natal’
DAF produz novo CF rígido em PG e começa a exportar
Sesa confirma duas mortes em PG pela infecção H3N2
Sport Vida prepara planos imperdíveis para 2022
Atual presidente da AMTT de Ponta Grossa, Romualdo Camargo, na Câmara Municipal. Foto: Luiz Lacerda/CMPG.
PUBLICIDADE

Presidente da Autarquia disse que é preciso ter “uma equipe técnica em cima do transporte” da cidade de Ponta Grossa

O presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) de Ponta Grossa, Romualdo Camargo, afirmou nesta terça-feira (24), no Plenário da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), não ver benefício na extinção da autarquia ponta-grossense. O Projeto de Lei (PL) 191/2021, de autoria da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), extingue a AMTT e promove uma reforma administrativa no Poder Executivo.

Nomeado em 1º de junho deste ano como presidente da autarquia, substituindo o atual vereador Celso Cieslak (PRTB), Romualdo participou de oitiva da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte. Na ocasião, ele foi questionado sobre a extinção da AMTT e afirmou que, “no meu entender como cidadão, você desmanchará uma estrutura criada há muitos anos. Terá fracionamento dos setores. Tem que ter uma equipe técnica em cima do transporte. Não vejo que isso será benéfico, mas, se a equipe técnica da Prefeitura achar viável, quem sou eu para falar”, relatou.

Além disso, Romualdo também deu a sua opinião como servidor público, fazendo parte da equipe da PMPG. Nesse caso, ele disse que “não poderia ser contra o projeto da prefeita (Elizabeth Silveira Schmidt – PSD).

Reforma administrativa

A proposta, que já tramita no Poder Legislativo, também cria a Secretaria Municipal de Cultura, a Secretaria Municipal da Família e Desenvolvimento Social e da Agência de Inovação e Desenvolvimento (AID). Segundo o PL, a proposta “consolida todas as modificações da estrutura administrativa” que ocorreram no decorrer de quase 20 anos, dessa forma, substituindo a atual lei de organização administrativa – Lei nº 6.678/2001.

O PL 191/2021 distribui as atividades da autarquia com duas secretarias: de Infraestrutura e Planejamento; e de Cidadania e Segurança Pública. Portanto, ficará assim designado:

- Para a Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública: superintendência de trânsito e segurança viária; departamento de engenharia viária; coordenadoria do estacionamento regulamentado; e fundo municipal de trânsito;

- Passa para a Secretaria de Infraestrutura e Planejamento: departamento de transportes.

A mudança, segundo a PMPG, “privilegia a economicidade, com a redução de custos de manutenção de uma estrutura descentralizada, racionaliza o serviço”. Mais informações sobre toda a reforma administrativa proposta pelo Poder Executivo clique aqui.


Assunto semelhante:

Izaías é contra extinção da AMTT de Ponta Grossa.

PUBLICIDADE

Recomendados