PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Vereadores são contra a extinção da AMTT de PG

Ponta Grossa

25 de agosto de 2021 23:00

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Humai cria projeto para crianças e jovens com deficiência

Alunos do Ensino Médio de PG fazem provas do PSS

Professor é referência no esporte dos Campos Gerais

Prefeitura diz que invasão de área é crime contra a sociedade
Motorista embriagado bate contra poste em bairro de PG
Homem é atingido por disparo de arma de fogo em Uvaranas
Mulher ameaça marido com arma e é detida em PG
Vereador de Ponta Grossa, Celso Cieslak (PRTB), foi presidente da AMTT. Foto: Luiz Lacerda/CMPG.
PUBLICIDADE

Parlamentares apresentaram moção de apelo à prefeita pedindo que o projeto que extingue a AMTT seja retirado dos trâmites do Legislativo

A Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) aprovou, nesta tarde de quarta-feira (25), a Moção de Apelo 389/2021, a qual pede que a prefeita Elizabeth Silveira Schmidt (PSD), junto com os departamentos competentes, retirem o Projeto de Lei (PL) 195/2021, que fala da extinção da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT) de Ponta Grossa, de tramitação no Poder Legislativo. A solicitação foi apresentada pelos seguintes vereadores: Celso Cieslak (PRTB), Daniel Milla Fraccaro (PSD), Edelmar Pimentel (PSB), Geraldo Stocco Filho (PSB), Izaías Salustiano (PSB) e Valdir Antônio Pedroso (PSC).

Com 16 votos favoráveis e um contrário (Divonsir Pereira Antunes – PSD), a moção explica que o projeto de lei “não apresenta motivação e fundamentos claros e convincentes quanto à real necessidade da reforma administrativa pretendida”. O vereador Celso Cieslak, ex-presidente da Autarquia, também ressaltou que “extinguir a AMTT será o maior erro dessa gestão (do atual Governo Municipal)”. O presidente da Casa de Leis, Daniel Milla, também disse que “não deveria ser extinta. Dar mais autonomia no transporte coletivo de Ponta Grossa”, ao justificar a permanência da AMTT.

A Moção de Apelo também explica que a Autarquia é “responsável pela prestação dos serviços públicos de regulamentação de engenharia de tráfego; fiscalização do trânsito; exploração e fiscalização do estacionamento regulamentado; fiscalização do transporte coletivo; transporte escolar e táxis; assim como a administração dos Terminais Coletivos e Terminal Rodoviário Intermunicipal”.

Além disso, os vereadores que subscrevem a moção afirmam que a proposta não reduz os gastos da Administração Pública e pedem a “reconsideração e recomenda a retirada para melhor análise, debates e fundamentação, não traz consigo demonstrativo econômico, memorial descritivo e planilha de cálculos financeiros e indicação de fontes de receitas e contas do custeio de despesas que ao que se vislumbra seriam criadas”, finalizam.

Presidente da AMTT

Romualdo Camargo, atual líder da Autarquia, também disse, em 24 de agosto, não ver benefício na extinção da estrutura administrativa. “No meu entender como cidadão, você desmanchará uma estrutura criada há muitos anos. Terá fracionamento dos setores. Tem que ter uma equipe técnica em cima do transporte. Não vejo que isso será benéfico, mas, se a equipe técnica da Prefeitura achar viável, quem sou eu para falar”, relatou.

A notícia na íntegra pode ser acessada clicando aqui.


Assuntos semelhantes:

Izaías é contra extinção da AMTT de Ponta Grossa.

Elizabeth encaminha à Câmara PL de reforma administrativa.

PUBLICIDADE

Recomendados