PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Comissão avaliará tarifa do ônibus de R$ 8,35 em PG

Ponta Grossa

01 de setembro de 2021 19:24

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Monstros invadem academia de Ponta Grossa em festa temática

Saiba como trabalhar na Appeldorn Atacado de PG

Cursos da UEPG se destacam no 'Guia da Faculdade'

Chapa ‘Algo Novo PG’ será lançada nesta quarta
PG abre agenda da dose de reforço para acima de 70
Saiba como ganhar uma limpeza dentária de graça
Organização Irmã Sheilla realiza 'Exposição de Natal' em PG
Transporte público coletivo de Ponta Grossa pode receber novo reajuste na tarifa. Foto: Arquivo/aRede.
PUBLICIDADE

Se valor foi aceito, nos últimos dez anos tarifa teria um aumento de R$ 5,95; AMTT, Sintropas, vereadores e VCG se manifestam

Com o novo aumento na conta de luz, no alto preço para aquisição de alimentos e combustíveis, por exemplo, e a diminuição do poder de compra da população, os ponta-grossenses foram surpreendidos com mais um possível aumento: na tarifa do transporte público coletivo, que pode chegar a R$ 8,35. É o que sugere o novo estudo técnico da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT) de Ponta Grossa, anunciado nesta quarta-feira (1º) e noticiado pelo Grupo aRede. A sugestão será agora avaliada pela Comissão de Fiscalização e Avaliação do Transporte Público e, posteriormente, será aprovada ou não pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG).

Atualmente sendo R$ 4,30, e se confirmado o novo valor, a tarifa de ônibus teria um aumento de 94% - o último reajuste foi em 2019. Segundo a AMTT, em nota enviada ao Grupo aRede, “a pandemia levou a uma redução significativa no número de passageiros do sistema, com evidentes reflexos no custo global, uma vez que o sistema em Ponta Grossa usa como base o índice de passageiros por quilômetro”, explica. Além disso, é ressaltado que a posição inicial da Autarquia “não foi sequer recebida pelo Conselho Municipal de Transportes”.

O cálculo tarifário da AMTT (disponível na íntegra clicando aqui) considera, por exemplo, custos operacionais como combustível, lubrificante, rodagem, peças e acessórios, serviços de terceiros relativos à manutenção, pessoal de tráfego, encargos sociais, uniformes, despesas com terminais, seguros, fundo de assistência sindical, custo de remuneração de diretoria, vida útil da frota e o Índice de Passageiros por Quilômetro (IPK).

Fazem parte da Comissão que analisa o possível novo aumento da tarifa do transporte, de acordo com o Decreto nº 17.194, de 31/03/2020, um procurador municipal, um contador, um engenheiro e um servidor da AMTT, responsável pela Divisão de Transporte Urbano.

Opinião

Por conta do alto valor de R$ 8,35, alguns vereadores da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) se manifestaram sobre o possível aumento na tarifa. Segundo o presidente da Casa de Leis, Daniel Milla Fraccaro (PSD), ele solicitará uma reunião com a Comissão de Fiscalização e Avaliação do transporte, para que todos os parlamentares possam tirar as suas dúvidas sobre a situação. Para Leonilton Antônio Carneiro (PV), é necessário “analisar com cuidado esses pedidos. Temos que ir com cautela, desde já”, alertou.

Josiane Schade Kieras (PSOL) ressaltou que “é inegociável essa tarifa. É um grande absurdo e a cidade precisará parar, se isso acontecer. É uma vergonha”. Geraldo Stocco Filho (PSB) também afirmou que “é inviável e irreal uma tarifa de ônibus a R$ 8. Lamentável”, disse em uma rede social.

O Grupo aRede também entrou em contato com a Viação Campos Gerais (VCG), responsável pelo transporte público coletivo da cidade (contrato vence em 2023), para saber a opinião da empresa sobre o possível reajuste. De acordo com eles, “a nossa decisão agora é não nos manifestarmos até porque é atribuição do Município fazer o cálculo e aferir a documentação. Vamos aguardar o trâmite do processo”, comenta.

Por fim, o Sintropas, sindicato que representa os trabalhadores do transporte público coletivo, se manifestou (uma notícia de 2 de fevereiro de 2021) por meio de declarações de seu presidente, Luiz Carlos de Oliveira. Na época, ‘Luizão’, como é conhecido, havia dito que a tarifa provavelmente seria mais do que R$ 6, em um possível reajuste. “Se Ponta Grossa não encontrar uma forma de subsidiar, vamos ter cada vez mais carros e menos ônibus circulando, tornando o transporte muito caro. O IPK daqui é muito baixo porque a tarifa é alta. Com a passagem superior a R$ 6 vai ficar insustentável para a cidade”, afirmou à época.

Histórico

Em 2011, a tarifa do ônibus era de R$ 2,40. Agora, em 2021, pode ficar a R$ 8,35. O levantamento foi feito pelo jornalista e doutorando em Comunicação Política pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Afonso Verner. Segundo os dados, a tarifa só foi passar de R$ 3 em 2016, quando atingiu R$ 3,20. Em 2019, o valor saltou para R$ 4,30 e seguiu até os dias de hoje. Caso venha a ser aprovado, nos últimos dez anos a tarifa teria um aumento de R$ 5,95.

Somente uma vez o valor, de 2011 a 2021, sofreu queda – em 2012 era R$ 2,50 e em 2013 ficou em R$ 2,40.


Assuntos semelhantes:

Ponta Grossa terá 'Comitê' pelo direito à mobilidade.

Transporte coletivo ganha maior proteção contra a covid.

Transporte coletivo de PG é tema de seminário nesta sexta.

PUBLICIDADE

Recomendados