PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Lideranças de PG visitam a Superintendência da Receita Federal

Ponta Grossa

14 de setembro de 2021 15:59

Da Redação


Relacionadas

PG adota passaporte de vacina em eventos

Stocco deixa CPI do Transporte após recusa de vereadores

'CPI do Transporte' se reúne e recusa quebra de sigilos da VCG

Plano de saúde São Camilo oferece diferenciais aos clientes
Prefeitura mantém adicional de insalubridade de 40% na Saúde
Planalto Select Hotel promove encontro de motos
AMTT inicia atividades da Semana Nacional do Trânsito
Comitiva de lideranças da cidade de Ponta Grossa estiveram presente na visita. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Comitiva ponta-grossense esteve na sede da Superintendência da Receita Federal da Nona Região para informar-se dos trâmites para abertura de processo licitatório na última segunda-feira (13).

Agendada pelo ex-delegado da Receita Federal de Ponta Grossa, Dr. Fernando Saraiva, hoje advogado atuante na cidade, uma comitiva ponta-grossense esteve na sede da Superintendência da Receita Federal da Nona Região para informar-se dos trâmites para abertura de processo licitatório na última segunda-feira (13), em Curitiba, protocolado na delegacia da RFB em Ponta Grossa no dia 2 de julho de 2021.

Estiveram presentes no encontro a prefeita de Ponta Grossa Elizabeth Silveira Schmidt, o presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), Douglas Fanchin Taques Fonseca, o Secretário Municipal de Indústria e Qualificação Profissional, José Carlos Loureiro Neto, o Secretário Municipal de Agricultura e Abastecimento, Bruno Costa, o presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa, Leonardo Puppi Bernardi, o Assessor de Assuntos Especiais da Prefeitura de Ponta Grossa, Henrique Palermo do Vale, o coordenador da Câmara Técnica de Indústria e Comércio Exterior do CDEPG, Marcos Gueibel.

Na visita, os Diretores adjuntos da RFB contemporizaram os demais Portos Secos do Paraná e Santa Catarina, bem como apresentaram os avanços que a Receita Federal tem conquistado no sentido de reduzir prazos de desembaraço aduaneiro nos portos e retro áreas portuárias. Além desse panorama de melhorias nos trâmites aduaneiros, explicitaram também a carência por mais servidores, visto que desde 2014 não há concurso para reposição de servidores, mas que a delegacia de Ponta Grossa não possui tal carência de pessoal. Em caráter informativo, afirmaram que a idade média atual dos servidores da Receita Federal é de 51 anos, aproximadamente.

A obtenção de um porto seco na região, além de reduzir custos logístico e tributários, mitigaria riscos vinculados aos problemas logísticos marítimos internacionais. Esse empreendimento também seria um vetor de desenvolvimento no sentido de atrair profissionais ligados ao despacho aduaneiro, como bacharéis em Comércio Exterior, advogados especialistas, e mesmo operadores de equipamentos como "scanners" de containers, sistemas sofisticados de vigilância, balanças, e outros equipamentos exigidos na operação.

A instalação de um porto seco em Ponta Grossa também seria importante para desobstruir a retro área do aeroporto Internacional Afonso Pena, que receberá uma terceira pista que será utilizada para voos de cargas, e terá que estar operando nos próximos 5 anos conforme leilão já vencido pela CCR para concessão de 4 aeroportos no Paraná. Além de servir ao Aeroporto de São José dos Pinhais, Ponta Grossa poderia já poderia desembaraçar pequenas cargas internacionais do aeroporto Santana, que se encontra em processo avançado de internacionalização, analisa o Presidente do CDEPG Leonardo Bernardi, lembrando também que Ponta Grossa possui importantes centros de distribuição de peças automotivas e de máquinas agrícolas, de alto valor agregado.

Os auditores da Receita Federal explicaram como funcionaria o trâmite e passaram um status quo da situação dos demais portos secos do Paraná e Santa Catarina, comprometendo-se a fazer um estudo de viabilidade técnico e econômico, de acordo com as próprias diretrizes internas da Receita Federal. A equipe da Receita Federal elogiou o estudo de viabilidade elaborado pelo Sebrae regional de Ponta Grossa, sob coordenação pessoal Gerente Regional Joel Franzim Junior.

A Prefeita Elizabeth Schmidt contemporizou a história de Ponta Grossa, que nasceu como rotas dos tropeiros, e desde então se manteve como cidade com forte vocação logística e hospitaleira, e que o Porto Seco ou outra facilidade similar viria como um presente excelente para o aniversário de 200 anos da cidade em 15 de setembro de 2023.

PUBLICIDADE

Recomendados