PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PG caminha para o futuro sem esquecer a tradição

Ponta Grossa

15 de setembro de 2021 17:00

Andre Bida


Relacionadas

‘CEI da Saúde’ inicia oitivas com auditores do Estado do Paraná

Caminhada de encerramento do Outubro Rosa ocorre na sexta

Coletivo do PSOL apresenta PL sobre cotas raciais em PG

PG realiza nova etapa da 2º dose de Pfizer
1º Encontro Vida na Prestes resgata brincadeiras
Geraldo Stocco aciona MP pela quebra de sigilo fiscal da VCG
App de delivery 99Food abre cadastros em Ponta Grossa
Felicidade. Eodete vê com alegria e muito orgulho todo o progresso que a cidade. Netos e bisnetos nasceram neste período Foto: Mateus Pitela
PUBLICIDADE

Terra que recebeu os tropeiros, hoje possui um polo industrial com a 5ª maior economia do Paraná


A cada ano que passa, a cidade de Ponta Grossa mostra sua força em diversos setores. Situada em um entroncamento rodoferroviário, o município que já foi rota dos tropeiros, vive hoje um grande momento de desenvolvimento. Seus habitantes mais antigos são testemunhas vivas de toda essa mudança.

O primeiro dado que reforça essa tese é o registro do aumento populacional, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ponta Grossa passou de 355.336 habitantes em 2020 para 358.838 neste ano.

Entre os principais fatores que levam ao aumento populacional está a economia sólida e a industrialização têm sido decisivas ao longo dos anos. Desde a instalação das primeiras indústrias até ao boom da vinda de grandes empresas e multinacionais verificado nos últimos anos, Ponta Grossa tem seu desenvolvimento diretamente atrelado à indústria.

Atualmente, Ponta Grossa consolida-se como a 5º maior economia do Paraná, com um valor adicionado de R$ 9,63 bilhões. O valor adicionado é um mensurador de riquezas geradas que compõem o PIB, ou seja, trata-se o lucro “bruto” obtido pelas empresas, desconsiderando os custos diretos e indiretos para a produção/compra dos seus produtos. Parte significativa deste valor corresponde à indústria, já que de acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda, destes R$ 9,63 bilhões, R$ 5,76 bilhões (o equivalente a 59,8%) foram produzidos pelo setor industrial.

“O setor é impulsionador e gerador de riquezas, faz Ponta Grossa ser reconhecida por ter um dos maiores parques industriais do Sul do Brasil, e o segundo maior ‘PIB industrial’ do interior do Estado”, comenta o Diretor de Indústrias da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Aciog), Otto Ferreira Neto.

Outro fator preponderante é a geração de riquezas que cresceu 11,1% em Ponta Grossa no ano passado. Mesmo com 2020 marcado pela pandemia e a retração econômica trazida por ela, com maiores impactos entre os meses de março, abril e maio, o Valor Adicionado (VA) do município cresceu R$ 1,06 bilhão e atingiu R$ 10,70 bilhões. O crescimento foi um fator decisivo para que a cidade aumentasse seu índice de participação perante o Governo do Estado.

Agora, Ponta Grossa sai da sexta colocação e passa a ser a quarta cidade do Paraná que mais vai receber repasses de ICMS do Estado, a primeira do interior.

“Foi um índice muito positivo. E quando se analisa o índice, conseguimos entender os motivos pelos quais Ponta Grossa sai da sexta posição e avança para a quarta: se olhar os seis primeiros, o único índice que não teve queda foi o de Ponta Grossa”, explica o secretário municipal da Fazenda, Claudio Grokoviski.

A transformação na porta de casa

Aos 87 anos, a dona de casa Eodete Rodrigues observou da porta de sua casa as mais diversas mudanças que Ponta Grossa sofreu nos últimos 50 anos. Moradora da Avenida Dom Geraldo Pellanda, ela relata como era o local quando chegou, na década de 70. "Antigamente, onde está localizado o supermercados Condor e Tozetto ficava a linha férrea, onde meu marido trabalhava como maquinista. Com o passar dos anos foram arrumando e deixando tudo bonito, mas jamais poderia imaginar que chegaria onde chegou”, relata.

PUBLICIDADE

Recomendados