PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Mãe faz texto comovente ao perder filha para o câncer

Ponta Grossa

17 de setembro de 2021 14:14

Da Redação


Relacionadas

PG terá voos diários a partir de março de 2022 para Campinas

Escola de PG tem assédio e onda de protestos

Justiça de PG revoga medidas protetivas contra Milos

Série de assassinatos tem relação com o tráfico de drogas
Sanepar afirma intensificar análise da água de PG
Inscrições de edital da cultura encerram nesta sexta-feira
Vereadores cobram Sanepar por situação da água de PG
Junior Marcos Alves e Giuliana Cristina Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

No texto intitulado ‘Meus intercessores no céu filho e filha’, Laura Vuitik detalha a bravura da filha Giuliana Cristina numa luta inglória contra o câncer em estágio terminal

A ponta-grossense Laura Vuitik causou grande comoção em redes sociais, nesta sexta-feira (17), ao expor ao público uma dor intensa. No texto intitulado ‘Meus intercessores no céu filho e filha’, ela detalha a bravura da filha Giuliana Cristina numa luta inglória contra o câncer em estágio terminal.

Giuliana Cristina Alves, de 36 anos, faleceu na última segunda-feira (13), em Ponta Grossa, vítima de um câncer raro e agressivo na região da pelve. A ponta-grossense deixa o esposo, Alex Skavronski e as duas filhas, Gabriela (15 anos) e Maria Luiza (quatro anos). Giuliana descobriu o câncer em março deste ano e segundo o Serviço Funerário Municipal de Ponta Grossa, ela veio a óbito em sua residência.

‘Foram 16 dias, e nesses dias aprendemos com ela como carregar a nossa cruz. Nunca ela murmurou sobre a doença, ou porque ela estava passando por isso. Quando as dores eram muito forte ela dizia Jesus segura a minha māo. E nos pedia para sermos fortes como ela estava sendo e tivemos que ser por ela, nāo chorar na frente dela e dizer que tudo ia ficar bem’, relata Laura.

Veja o relato de Laura Vuitik


Meus intercessores no céu filho e filha

Nāo é a ordem natural da vida, uma māe enterrar um filho e enterrar dois entāo ....

Um dia fiz minha oraçāo assim: Senhor nāo permita que eu enterre mais um filho. Fui fraca porque nāo queria passar por esse sofrimento. Tinha 2 caminhos. Deus tinha que me levar antes ou acontecia um milagre nas nossas vidas: a cura da Giuliana porque nesse dia ficamos sabendo que ela poderia partir de uma hora para outra e nas expectativas melhores 6 meses de vida. Foram 16 dias, e nesses dias aprendemos com ela como carregar a nossa cruz. Nunca ela murmurou sobre a doença, ou porque ela estava passando por isso. Quando as dores eram muito forte ela dizia JESUS SEGURA A MINHA MĀO. E nos pedia para sermos fortes como ela estava sendo e tivemos que ser por ela, nāo chorar na frente dela e dizer que tudo ia ficar bem (porque nunca ela soube que a doença tinha se alastrado) era triste demais. No dia de sua partida ela falou que ia ser naquele dia, falou que ia se encontrar com o seu irmāo na grande festa no céu, disse que estava preparada, pediu p nós ser forte, que a cruz era dela é que nāo queria que nós sofrêssemos. Rezou mais nesse dia, até 20 min antes de ir. Pedia para ouvir a sua música que ela ouviu todo o tempo de sua enfermidade. Pediu para as irmãs ficar do lado dela. Pediu para ficar sozinha com o Alex. Morreu dizendo que o amava. Disse que Jesus esteve no quarto a tarde toda e que o menino vinha e ela achava que era hora, mais nāo era. Pediu para nós viajar, tirar bastante fotinho e postar. Falou como o Alex era para ser com a Maria, e nāo jogar comida fora. Pediu a oraçāo da Leiriane e ficou serena quando ouviu. Ela disse que para nós nāo ia ser fácil mais já via o lugar lindo e pediu para nós se preparar também, porque antes do lugar lindo era muito feio e tinha que se preparar. E por fim pediu para nós sentar ela que tudo ia acabar.

Estava no quarto eu o Alex e a mãe dele. Eu pedi para ele sentar ela e ele disse vai ser seu último suspiro, e eu vai seu último desejo feito e foi. Sentamos ela, Alex abraçou e menos de 2 mim minha menina foi para os braços do pai. E até aqui o Senhor nos sustentou e sei que vai continuar, que Ele ouve as orações que vocês fazem por nós. Entendo também que se Junior (Junior Marcos Alves morreu há 5 anos) ainda nāo estivesse no Céu ela o levou junto agora. Sei que as almas do purgatório ganharam uma intercessora, nós ganhamos uma intercessora contra as injustiças desse mundo, as crianças desamparadas, aquelas que tem fome, aqueles esquecidos. Porque pelo o que ela combatia aqui na terra vai interceder por eles lá do céu. Meu consolo vem que eu perdi minha Giuliana, mas temos uma intercessora, que o sofrimento dela é os nossos nāo foi em vāo e se uniu aos de Jesus na Cruz.

PUBLICIDADE

Recomendados