PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Vendas do comércio de PG crescem 8,47% em 2021

Ponta Grossa

13 de outubro de 2021 19:16

Fernando Rogala


Relacionadas

PG faz repescagem da vacina e aplica 3º dose amanhã

Igreja Batista Fonte de Vida comemora nove anos em PG

Estudante de PG concorre em concurso mundial de tecnologia

Bêbado, homem ameaça esposa e acaba preso em PG
Mulher fura preferencial e quase bate em viatura na Ronda
Vani Quadros Fadel se torna Cidadã Benemérita do Paraná
Prefeitura abre 3ª dose para idosos 75 anos ou mais
Maior alta nas vendas em 2021 na cidade é das concessionárias de veículos Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Faturamento do setor varejista na cidade teve incremento de 6,6% no último mês de julho


As vendas do comércio varejista em Ponta Grossa cresceram no início deste segundo semestre de 2021. Informações da pesquisa conjuntural do comércio, realizada mensalmente pela Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio-PR), mostram que o faturamento dos lojistas do município foi 6,6% melhor no mês de julho deste ano do que no mesmo período em 2020. Mas esse não foi um desempenho isolado: em todas as seis regiões paranaenses analisadas houve um aumento nas vendas, totalizando um incremento médio de 14,3%.

Isso contribui para que, no acumulado do ano, as vendas do comércio varejista no município crescessem e seguissem positivas. Somadas as vendas realizadas por todos os 11 setores do comércio avaliados na cidade entre os meses de janeiro e julho, houve um avanço de 8,47%, se comparadas com o mesmo período de 2020. Cabe lembrar que este crescimento da cidade não é uma evolução frente a uma retração, tendo em vista que entre janeiro e julho de 2020, não houve queda nas vendas em relação ao mesmo período de 2019, mas sim, um leve crescimento, de 0,24%. No período, foi a única região positivado Paraná, tendo em vista que o Estado apresentava uma queda média de 6,08%.

Especificamente no mês de julho, comparado com julho de 2020, dos onze setores nove apresentaram crescimento, e apenas dois tiveram queda. Entre os com baixas, a retração sequer chegou a 1%: as concessionárias de veículos tiveram uma baixa de 0,65% e o setor de materiais de construção uma retração de 0,89%. Por outro lado, cinco setores cresceram mais de 25%, com calçados liderando a alta (53,5%), seguido por livrarias e papelarias (41,4%), autopeças (37,8%), óticas/cine/foto/som (36,5%) e vestuário e tecidos (28,4%).

No acumulado do ano, também foram nove setores com alta nas vendas e apenas dois com queda. Os maiores crescimentos foram das concessionárias de veículos, com alta de 44,5%, o setor de calçados, com crescimento de 43,9%, e o ramo de autopeças, com 43,4%. As baixas ficaram com o setor de vestuário e tecidos, com -3,07%, e o ramo de livraria e papelaria, com baixa de -9,22%. Em âmbito estadual, livraria e papelaria é o único abaixo da média de 2020, com retração de 2,19%.

 

Redução de casos de covid e vacinação estimularam as vendas

A Fecomércio, em nota, atribuiu a grande alta em alguns setores em âmbito estadual, como do varejo calçadista (118,04%) e vestuário (94,17%) ao avanço da imunização da população e à redução no número de casos e mortes pela covid-19. “Isso tem estimulado a volta ao trabalho presencial e a realização de eventos sociais, ocasiões que impulsionam a compra de itens de vestuário. O aumento da circulação dos consumidores nos estabelecimentos comerciais, motivada pela sensação de maior segurança trazida pela vacinação, tem auxiliado esses setores a retomarem as vendas, uma vez que são produtos com forte apelo visual, em que a visualização de uma peça em uma vitrine ou display incentiva o consumo”.  

PUBLICIDADE

Recomendados