PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Série de assassinatos tem relação com o tráfico de drogas

Ponta Grossa

19 de outubro de 2021 18:36

Da Redação


Relacionadas

Lojas de PG abrem hoje e amanhã em horário estendido

Plauto Miró reúne lideranças em PG para prestar contas

Beto Richa avalia cenário e admite possível candidatura

Ponta Grossa marca presença no Festival das Cataratas
Autor de atentado na Mesquita Imam Ali é preso em PG
Parceria com o Judiciário regularizará 5 mil lotes em PG
'Médicos de Rua' atende pessoas carentes em PG
Delegados de Ponta Grossa falam sobre série de assassinatos que acontecem no município Foto: Igor Rosa/aRede
PUBLICIDADE

Em levantamento feito pelo portal aRede e Jornal da Manhã, nos 7 assassinatos que aconteceram no mês de outubro, foram realizados mais de 100 disparos contra as vítimas

A série de crimes violentos registrados nos últimos 30 dias, em Ponta Grossa, têm inquietado a população e preocupado as autoridades policiais de Ponta Grossa. Levantamento realizado pelo grupo aRede mostra que aconteceram sete assassinatos num curto espaço de tempo. O que chama atenção é a similaridade da dinâmica empregada pelos autores dos crimes, e o uso excessivo de tiros. Em alguns casos, as vitimas receberam entre 20 a 30 perfurações provocadas por disparos de armas de fogo.

Em entrevista exclusiva ao portal aRede e ao Jornal da Manhã, na tarde desta terça-feira (19), o delegado chefe da 13° SDP, Nagib Nassif Palma, foi categórico em afirmar que a maioria desses crimes tem relação com mercado de drogas. Nagib comenta também que o setor de homicídios da delegacia trabalha dia e noite para solucionar todos esses casos, e que brevemente os autores serão autuados na forma da lei.

Nagib comenta ainda sobre o perfil das vítimas dos assassinatos. “Todas as vítimas recentemente teriam saído do sistema penitenciário e algumas delas faziam uso de tornozeleira eletrônica”. Para Nagib toda essa série de assassinatos tem apenas um final “quem se envolve na droga tem apenas dos destinos: caixão ou cadeia”, finalizou.

Assassinatos em série com vários disparos de arma de fogo, e na maioria tendo vítimas jovens, são características comuns dos últimos sete homicídios ocorridos na cidade de Ponta Grossa.

O primeiro homicídio foi registrado no dia 19 de setembro na Vila Romana. O jovem José Jardel Inácio foi morto com oito disparos de arma de fogo. No final do mesmo mês, Patrick Rayllan Ferreira de Freitas foi alvejado com pelo menos cinco disparos de arma de fogo no bairro Chapada.

Um dos homicídios que chocou a população ponta-grossense foi o de Diego Lima Gonçalves. O rapaz recebeu 20 disparos de arma de fogo, no dia 29 de setembro. A ação aconteceu no Condomínio Real, e foi filmada. O vídeo do assassinato foi divulgado em grupos de WhatsApp.

Peter Besdudnyj Junior teve sua casa invadida no bairro Oficinas na noite de dois de outubro. Ele foi executado com diversos disparos de arma de fogo de grosso calibre. Na mesma semana, Ismael Onir Nascimento Júnior foi executado, a ação foi semelhante com a que vitimou Peter.

Júlio Cézar Fernandes foi morto no bairro Quero-Quero, no dia 16 de outubro, com vários disparos de arma de fogo. No dia seguinte, o jovem de apenas 15 anos identificado como Cauã Junior Paes. O rapaz foi encontrado em óbito na estrada que dá acesso ao Alagados. Ao todo foram registrados 30 disparos de arma de fogo no jovem.

O delegado chefe da 13° SDP, Nagib Nassif Palma pede para que a população de Ponta Grossa ajude nas denúncias, contra os criminosos que atuam dentro do município. Os cidadãos podem realizar as denúncias através do telefone Whatsapp (42) 99807-9691 (setor de homicídios). “O papel da população é de extrema importância para o combate a criminalidade que acontece dentro de Ponta Grossa”, afirma o delegado.

PUBLICIDADE

Recomendados