PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Escola de PG abre sindicância para apurar assédio

Ponta Grossa

20 de outubro de 2021 10:13

Da Redação


Relacionadas

Plauto Miró reúne lideranças em PG para prestar contas

Beto Richa avalia cenário e admite possível candidatura

Ponta Grossa marca presença no Festival das Cataratas

Autor de atentado na Mesquita Imam Ali é preso em PG
Parceria com o Judiciário regularizará 5 mil lotes em PG
'Médicos de Rua' atende pessoas carentes em PG
PRF apreende grande quantidade de droga em PG
Alunos do Colégio Frei Doroteu de Pádua fazem protesto na manhã de hoje. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Professor do Colégio Cívico-Militar Frei Doroteu de Pádua é alvo de sindicância

As denúncias de assédio sexual contra um professor do Colégio Cívico-Militar Frei Doroteu de Pádua, feitas por uma aluna e seus pais, na sexta feira (15) da semana passada já são de conhecimento das autoridades policiais de  Ponta Grossa.  O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (NUCRIA) deverá instaurar um inquérito para apurar essas e outras acusações contra o docente.

O caso também já está sendo analisado pela Secretaria do Estado de Educação. Em nota enviada nesta manhã ao grupo aRede o Governo do Estado afirma que todas as medidas estão sendo tomadas, sinalizando com um possível afastamento do professor antes mesmo da conclusão da sindicância.

Veja na integra a nota

O diretor do Colégio Cívico-Militar Frei Doroteu de Pádua, ao ser informado sobre a conduta do professor, realizou um registro em ata, comunicou os pais das alunas que haviam feito queixas e teve uma reunião com o professor.

Neste momento, o Núcleo Regional de Educação de Ponta Grossa analisa a ata e os relatórios sobre as queixas. Será aberta uma sindicância e um processo administrativo disciplinar. 

O professor pode ser afastado antes mesmo da conclusão da sindicância.

Agora, haverá a publicação de uma resolução que designa os servidores que farão parte da comissão que fará a apuração dentro da sindicância. Essa comissão tem até três dias para deliberar e pode decidir pelo afastamento imediato do professor.

Após, a sindicância tem até 30 dias para ser concluída, com a possibilidade de demissão do professor.

PUBLICIDADE

Recomendados