PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Delegada intima professor para depor no Nucria

Ponta Grossa

21 de outubro de 2021 08:45

Igor Rosa


Relacionadas

Casal é detido com 47 Kg de maconha em rodovia de PG

Mulher morre dois meses depois da filha em PG

Black Friday deve movimentar comércio de PG nesta sexta

Passagem de ônibus sobe para R$ 5,50 a partir de hoje em PG
Jorge Sebastião é eleito presidente da OAB Ponta Grossa
Maior Black Friday do mundo real acontece no Palladium PG
PG divulga calendário letivo escolar para o ano de 2022
PUBLICIDADE

A Polícia Civil recebeu três denúncias formais de assédio e importunação sexual contra o mesmo professor.

Ponta Grossa ficou chocada após vir à tona um caso de assédio sexual dentro do Colégio Cívico-Militar Frei Doroteu de Pádua, na região do bairro Periquitos. O caso aconteceu na semana passada, porém ganhou visibilidade na última terça-feira (19). A delegada da Polícia Civil, Ana Paula Carvalho, responsável pelo Nucria, afirmou que outras vítimas oficializaram as denúncias e prestaram depoimentos detalhando os abusos praticados pelo educador. 

Segundo as autoridades, a Polícia Civil recebeu três denúncias contra o mesmo homem. "Os relatos das vítimas demonstram efetivamente a prática de crimes de assédio sexual e importunação sexual praticado pelo investigado", ressalta a delegada. De acordo com as informações enviadas à imprensa, o homem deverá ser interrogado nos próximos dias para dar sua versão sobre as acusações. 

A investigação aponta que o professor de matemática possui histórico da prática de crimes da mesma natureza ocorridos entre os anos de 2005 a 2013.

O que diz o Colégio

Na manhã desta quarta-feira (20), o diretor-geral do Colégio Cívico-Militar Frei Doroteu de Pádua, Roger Andrade, conversou com o jornalismo do Portal aRede e detalhou as reclamações recebidas de alunas da instituição. "O tratamento que ele tinha com as meninas era diferente, em algumas situações ele convidava para irem a shoppings da cidade, por exemplo”, disse.

Ao saber dos possíveis assédios sexuais, a própria direção do colégio instruiu os pais e alunas a procurarem ajuda com as autoridades policiais. “Nós tivemos conhecimento de outros episódios semelhantes que envolveram este professor no passado. Por isso, tomamos cuidado em direcionar suas aulas apenas nas salas em que as câmeras de segurança funcionam normalmente”, esclareceu Roger.

A direção da escola está passando em todas as salas para orientar os alunos sobre o assunto e evitar que outras situações como esta aconteçam. 


MATÉRIA SEMELHANTES

Escola de PG abre sindicância para apurar assédio;

Escola de PG tem assédio e onda de protestos;

Professor de PG é reincidente em casos de assédio

PUBLICIDADE

Recomendados