PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

CMT deve propor subsídios para evitar tarifa de R$ 8,35

Ponta Grossa

22 de outubro de 2021 20:03

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Caminhão tomba e motorista morre em rodovia de PG

Prefeitura de PG aplica 2ª dose da Coronavac na terça-feira

Instituto Pedro Gaspar realiza ação ‘Anjos do Bem’ em PG

Indivíduo morre esfaqueado na região central de PG
Homem morre atropelado por trem neste sábado em PG
Presidente do PSOL vem a PG na próxima semana
PG volta a obrigar o uso de máscaras em ambientes abertos
Valor atual da tarifa do ônibus é de R$ 4,30. Foto: Divulgação/PMPG.
PUBLICIDADE

A taxação de Uber também é uma das propostas que foram discutidas pelos membros do Conselho Municipal

A cidade de Ponta Grossa vive a expectativa de um novo reajuste na tarifa do transporte público coletivo. E para evitar o valor sugerido pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) de R$ 8,35, o Conselho Municipal de Transportes (CMT) deve sugerir à Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) o custeio de algumas gratuidades, além da taxação de serviços de Uber, por exemplo. As possibilidades foram discutidas na última reunião do ‘Grupo’, que aconteceu na quinta-feira (21), no Poder Executivo.

Na ocasião, que teve uma duração de aproximadamente 3h e contou com a presença de quase todos os membros do CMT - quatro não estiveram presentes, as lideranças discutiram a planilha e os documentos que indicam o valor técnico da tarifa do transporte coletivo, de R$ 8,35. E para não chegar ao alto valor na hora do reajuste - o último aconteceu em 2019, os membros apresentaram propostas que poderão ser enviadas à PMPG. Confira abaixo quais são elas:

- A Prefeitura deve bancar as gratuidades dos estudantes, das pessoas com deficiência, dos usuários de 60 a 65 anos, além dos que tenham 65 anos ou mais;

- O Executivo deve, ainda, assumir as despesas integrais para a manutenção e operação dos terminais;

- Que a Prefeitura zere ou, ao menos, reduza a alíquota do ISS pago pela Viação Campos Gerais (VCG);

- O transporte por aplicativo deve ser regulamentado e as taxas cobradas sobre o serviço devem ser utilizadas para subsidiar o transporte público coletivo.

Segundo o presidente do CMT, Elidio Carlos Curi de Macedo, “não queremos que seja esse valor. É péssimo para todos. Nas simulações, estamos tentando chegar a um valor abaixo”, disse ao Grupo aRede. Ele também lembrou que é preciso levar em conta a situação ocasionada pela pandemia, bem como os preços dos insumos, que aumentaram de modo geral.

A próxima reunião do CMT acontecerá na terça-feira (26), a partir das 14h, na Prefeitura. O ‘Conselho’ tem 15 dias para sugerir um valor ao Executivo. Após isso, a prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Silveira Schmidt (PSD), decidirá qual será o reajuste, ou não, da tarifa do transporte público coletivo.

PUBLICIDADE

Recomendados