PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PG terá ato contra a vinda de Bolsonaro aos Campos Gerais

Ponta Grossa

25 de outubro de 2021 16:40

Rodolpho Bowens


Relacionadas

GM encontra pé de maconha em casa abandonada

Corpo carbonizado é encontrado em bairro de PG

Esposa busca por marido desaparecido em PG

Provas do PSS são aplicadas hoje para 16 mil estudantes
'Empresa some' e PG segue sem enfeites de Natal
Caminhão tomba e motorista morre em rodovia de PG
Prefeitura de PG aplica 2ª dose da Coronavac na terça-feira
Manifestação acontecerá em 6 de novembro, a partir das 10h, em Ponta Grossa. Foto: Paula Gobbo.
PUBLICIDADE

Movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos e demais entidades têm se mobilizado para protestarem contra a vinda do presidente do Brasil

A visita do presidente da República Jair Messias Bolsonaro (sem partido) a Ponta Grossa será marcada por protestos. Organizados para 6 de novembro, grupos se mobilizam para se manifestarem contra a vinda do líder do Poder Executivo aos Campos Gerais (a agenda do presidente será em 5 e 6 de novembro). O ato, que tem como tema ‘Vaza Bolsonaro!’, acontecerá a partir das 10h, na Praça Barão de Guaraúna, no centro da cidade ponta-grossense.

Movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos e demais entidades têm se mobilizado para protestarem contra a vinda de Bolsonaro. De acordo com um dos organizadores, Elton Barz, presidente estadual do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), o presidente não vem trazer investimentos para a região. “Bolsonaro já gastou mais de R$ 1,5 milhão com suas motociatas que não servem para nada. São uma propaganda eleitoral. Ele não vem aos Campos Gerais para trazer investimentos. Aliás, acabou de decidir por Recife e não Ponta Grossa para ser sede da Escola de Sargentos das Armas (ESA)”, lembra ao Grupo aRede.

A manifestação regional, que também deve contar com integrantes de Campo Magro, Castro, Curitiba, Palmeira e Telêmaco Borba, afirma que “os Campos Gerais e o Paraná não fecham com Bolsonaro. Entendemos que suas lamentáveis motociatas não matam a fome de brasileiros e nem garantem a nutrição de mais da metade da população que vive em situação de insegurança alimentar”, explica.

Até o momento, as entidades envolvidas na organização do ato são: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Movimento Popular por Moradia (MPM); Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido Democrático Trabalhista (PDT), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Partido dos Trabalhadores (PT), Mandato Coletivo do PSOL, Associação dos Professores do Paraná  (APP  Sindicato), Sindicato dos Comerciários, Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina, Central Única dos Trabalhadores (CUT/PR) e Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes Derivados e Alimentação de Ponta Grossa (STIMLACA).

Presidente nos Campos Gerais

A convite da deputada federal Aline Sleutjes (PSL), Jair Bolsonaro deve desembarcar em Ponta Grossa em 5 de novembro, e permanecer até 6 de novembro, data em que ocorrerá a motociata que percorrerá as cidades de Castro, Piraí do Sul e Ponta Grossa. Na ocasião, o presidente deve participar de celebrações e cerimoniais para lançamentos de programas. Segundo a vice-líder do Governo Federal na Câmara dos Deputados, “nosso evento será ainda melhor. Estamos ansiosos pela visita, para mostrar nossa região ao presidente e para que ele veja o quanto o povo paranaense o apoia”, afirmou Sleutjes.

Bolsonaro viria a Ponta Grossa em 24 e 25 de setembro. Porém, a sua visita foi adiada por conta de o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ter testado positivo para a covid-19 na 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque. O presidente estava na mesma comitiva de Queiroga e precisou fazer isolamento social, até que seu teste do coronavírus saísse – o resultado foi negativo. Mais informações sobre a agenda do líder do Executivo nos Campos Gerais acessando aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados