PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Vereadores de PG voltam a criticar PL que extingue AMTT

Ponta Grossa

25 de outubro de 2021 20:00

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Plauto Miró reúne lideranças em PG para prestar contas

Beto Richa avalia cenário e admite possível candidatura

Ponta Grossa marca presença no Festival das Cataratas

Autor de atentado na Mesquita Imam Ali é preso em PG
Parceria com o Judiciário regularizará 5 mil lotes em PG
'Médicos de Rua' atende pessoas carentes em PG
PRF apreende grande quantidade de droga em PG
Vereador da cidade de Ponta Grossa, Celso Cieslak (PRTB). Foto: Luiz Lacerda/CMPG.
PUBLICIDADE

Representantes têm se manifestado, há dias, contra o fim da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte de Ponta Grossa

Parlamentares da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) criticaram novamente, nesta segunda-feira (25), o Projeto de Lei (PL) nº195/2021, de autoria do Poder Executivo, que extingue a Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) da cidade. Encabeçaram as manifestações contrárias a proposta os vereadores Celso Cieslak (PRTB) e Izaías Salustiano (PSB). O PL faz parte da Reforma Administrativa organizada pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG). Os manifestos estão disponíveis no vídeo abaixo:

De acordo com a proposta do Poder Executivo, os serviços da AMTT seriam distribuídos em duas pastas: a fiscalização do trânsito e do EstaR Digital ficaria para a Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP); e a fiscalização do transporte público coletivo e individual de passageiros passaria para a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Planejamento (SMIP).

Segundo o parlamentar Celso, que já foi presidente da AMTT, “não deve ser extinto um órgão que há quase 30 anos presta um serviço de excelência para Ponta Grossa. É reconhecido em todo o Estado do Paraná. Quantas pessoas vieram ver o modelo da AMTT para copiar? Será o maior erro cometido nesta administração. É um erro, falei para a prefeita. O único órgão de autarquia de Ponta Grossa que não precisa ficar integralizando, a cada passo, R$ 5 milhões, R$ 10 milhões”, justificou.

Já para o vereador Izaías, “me somo àqueles que se manifestaram contrariamente ao projeto de lei, por entender que, ao menos neste momento em que nós estamos passando, não vejo que seja conveniente alterar, de forma tão drástica, a estrutura de organização do Município. Não vejo economia na proposta. No meu modo de ver, poderá haver aumento de despesa e é certo que haverá precarização nos serviços prestados à comunidade”, relatou o parlamentar.

Quem também se manifestou ao PL 195/2021 foi Joceméuri Corá Canto (PSC). “Pode contar com o meu voto contrário a extinção da AMTT”, disse durante a ‘Sessão Ordinária’ do Poder Legislativo.

Moção contra ao PL já foi aprovada

Por meio da Moção de Apelo nº 389/2021, de autoria dos vereadores Celso Cieslak, Daniel Milla Fraccaro (PSD), Edelmar Pimentel (PSB), Geraldo Stocco Filho (PSB), Izaías Salustiano e Valdir Antônio Pedroso (PSC), o Poder Legislativo aprovou, com 16 votos favoráveis e um contrário, a não extinção da AMTT de Ponta Grossa. O documento reforça que não há indicação na redução dos custos da Administração Pública, além de solicitar a “reconsideração e recomenda a retirada para melhor análise, debates e fundamentação” do projeto de lei.

Além deles, o presidente da AMTT, Romualdo Camargo, já se manifestou contra o fim da Autarquia. “No meu entender como cidadão, você desmanchará uma estrutura criada há muitos anos. Terá fracionamento dos setores. Não vejo que isso será benéfico”, disse ao Grupo aRede em 24 de agosto. Mais informações acesse aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados