PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Prefeitura analisa pedido do MP sobre auditoria na VCG

Ponta Grossa

11 de novembro de 2021 15:34

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Rottas levará condomínios clubes para a 18ª Expoimóveis

Ambev oferta vagas exclusivas para mulheres em PG

Vereadores processam Stocco por declaração na ‘CPI da VCG’

Funcionários da Copel doam enxovais para o Humai
Plauto apresenta 100 novos filiados do União Brasil de PG
Centro de Atendimento da Criança fortalece ações em PG
Corpo em estado de decomposição é encontrado em PG
Prefeita da cidade de Ponta Grossa, Elizabeth Silveira Schmidt (PSD). Foto: Reprodução/Redes Sociais.
PUBLICIDADE

Recomendações foram realizadas por meio da 12ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ponta Grossa – especializada na proteção do patrimônio público

Após o Ministério Público do Paraná (MP/PR) recomendar uma auditoria na Viação Campos Gerais (VCG), responsável pelo transporte público coletivo de Ponta Grossa, a Prefeitura Municipal (PMPG) afirmou que já analisa o pedido do órgão. O comunicado vem após a equipe de jornalismo do Grupo aRede pedir respostas sobre a recomendação do MP/PR – são dez dias para que o Poder Executivo envie um ‘feedback’ à 12ª Promotoria de Justiça da Comarca de Ponta Grossa – especializada na proteção do patrimônio público.

O pedido do MP foi noticiado em primeira mão pelo Grupo aRede, na última quarta-feira (10), após o vereador ponta-grossense, Geraldo Stocco Filho (PSB), ter acionado o órgão – confira a notícia clicando aqui. Segundo a PMPG, por meio de sua assessoria de imprensa, “as recomendações do MP estão sob análise por parte de um amplo grupo de trabalho da administração municipal”.

Além disso, a Prefeitura afirma que “trabalha, já há várias semanas, em colaboração com o Conselho Municipal de Transportes (CMT), para otimizar o sistema de apuração e regulação do transporte coletivo, tendo como objetivo garantir a manutenção do serviço de ônibus, de forma segura, transparente e eficaz”, relata. Confira abaixo, de forma sucinta, quais foram as recomendações apresentadas pelo MP (caso o Executivo não se manifeste, o MP/PR poderá realizar providências legais pertinentes):

1) Não efetue novo repasse de valores à concessionária sem antes efetuar uma auditoria na situação financeira da VCG;

2) Se houver pedido de reajuste da tarifa cobrada dos usuários, que tal reajuste seja precedido de uma auditoria, inclusive solicitando o apoio de órgãos públicos como o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE/PR);

3) Que, se possível, seja exigido que a concessionária implemente um modelo de bilhetagem eletrônica.

Tarifa pode ir para R$ 8,35

A cidade de Ponta Grossa vive a expectativa de ter um reajuste na passagem do ônibus. A Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT) apresentou um valor técnico de R$ 8,35, que já foi analisado pelo CMT. O ‘Conselho’ apresentou onze sugestões ao Poder Executivo, para que a tarifa não fique nesse valor: a Prefeitura bancar gratuidades; taxar aplicativos pelo transporte de passageiros; e retirar cobradores, são algumas das possibilidades.

Sobre esse último assunto, o Sintropas, sindicato que defende os trabalhadores da VCG, emitiu um comunicado, na última quarta-feira (10), questionando se a prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Silveira Schmidt (PSD), cumprirá uma promessa de campanha – ela disse que evitaria a demissão dos trocadores do transporte público coletivo (confira o vídeo aqui). O comprometimento foi feito juntamente com o presidente da entidade.

As sugestões do CMT foram discutidas com os integrantes do ‘Conselho’ – o Sintropas faz parte do ‘Grupo’ que analisou a tarifa do transporte público, e que também apresentou as onze ideias à Prefeitura.


Assunto semelhante:

'CPI do Transporte' apresentará relatório final em novembro.

PUBLICIDADE

Recomendados