PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

'Treme Terra Race' movimenta mais de mil pessoas em PG

Ponta Grossa

29 de novembro de 2021 10:11

Da Redação


Relacionadas

PG libera consulta à nova etapa da vacinação pediátrica

Briga no centro de PG assusta moradores e atrapalha trânsito

Adolescente de 15 anos é apreendido com pistola em PG

'Gripário' no Oscar Pereira tem grande procura
Agência do Trabalhador limita atendimento pela covid-19
Morador de PG morre atropelado na BR-373
Cesta básica em PG fica 46,40% mais cara em dois anos
PUBLICIDADE

Dos 920 atletas inscritos, mais de 40% eram turistas. Grupos de Santa Catarina, São Paulo e do Mato Grosso do Sul prestigiaram a primeira corrida da Região dos Campos Gerais

O último domingo (28) em Ponta Grossa, vai ficar na memória de mais de mil pessoas que estiveram presentes no 'Treme Terra Race', a primeira corrida com obstáculos realizada na Região dos Campos Gerais. As largadas começaram às 8 horas da manhã, com grande animação e concentração dos atletas. Foram 14 baterias de largadas ao todo. Primeiro os competidores e depois quem se inscreveu para diversão, mas que não deixou de buscar superação e desafio. Além dos 920 atletas, o Recanto Botuquara, no Distrito de Itaiacoca, área rural de Ponta Grossa, esteve bastante movimentado também por familiares e outros incentivadores dos atletas. Desse total, mais de 35% dos participantes eram também turistas, que vieram de São Paulo, Santa Catarina e até do Mato Grosso para participar da prova. O Treme Terra Race tradicionalmente acontece em Santa Catarina, onde já foram realizadas oito competições, e pela primeira vez a prova acontece em terras paranaenses e os atletas enfrentaram cinco quilômetros com 25 obstáculos.

Alan Diego Silva Aguiar, de 30 anos, veio de Curitiba para o evento. Ele encerrou o trajeto em 25 minutos, conseguiu superar todos os obstáculos e confirma que a prova superou as expectativas. “Eu estava preparado, por isso consegui passar em todos”. É o segundo Treme Terra Race que ele participa, a primeira prova foi em Santa Catarina em 2018. “A prova aqui foi muito mais completa, bem preparada e mais desafiadora”, confirma.

Marcelo Guimarães Amaral, representante do Conselho Municipal de Turismo de Ponta Grossa e representante da Associação Comercial de Industrial de Ponta Grossa (ACIPG) esteve pela primeira vez em evento realizado pela Cavali Pró Eventos, e lembra que o Treme Terra Race é um dos eventos que tem apoio da Lei Municipal de Incentivo aos Eventos Geradores de Fluxo Turístico. “Estou extremamente emocionado com o que estou vendo, a movimentação é intensa e muita gente de fora, evento organizado que está proporcionando esporte e lazer, promovendo ainda essa região que é totalmente turística em Ponta Grossa, e este evento vem cumprir as expectativas da retomada do turismo. Já foi possível sentir o impacto na rede hoteleira. O atrativo turístico, que é o Botuquara, apesar de ser bastante visitado e consolidado no setor, com certeza não teria todo este movimento se não fosse o evento deste porte”, enfatiza.

O secretário Municipal de Meio Ambiente, André Pitela, também prestigiou o evento, pela parceria em promover, durante o evento, a conscientização sobre a importância da preservação da natureza e também sobre a geração de resíduos. “Estamos participando com a equipe para promover educação ambiental, estimulando a destinação correta de resíduos. Isso é importante para um público tão grande e que gosta da natureza, porque o Distrito de Itaiacoca é o mais rico da cidade em belezas naturais, e isso precisa ser promovido e preservado”, destaca.

Cristiano Bonfim Mendes, de Irati, já participou de corridas com obstáculos em Curitiba e União da Vitória, e aproveitou a inscrição no Treme Terra Race para organizar a participação na competição junto com amigos e ainda trazer a família para um passeio e curtir o dia no Recanto Botuquara, que eles não conheciam. “Viemos em mais de 10 pessoas e vamos curtir o dia aqui no Botuquara”. Para ele a prova foi de alto nível. “Tinha que ter me preparado mais”. Ele enfrentou a categoria competição, e teve que pagar 20 burpees no obstáculo que promovia um exercício diferente: memorização. “Era uma senha, que incluía o final do teu número, mais alguns números. Era preciso memorizar e no final da prova falar esta combinação exata, que eu esqueci na hora”, explica.

Vanessa Riquerme é atleta e ponta-grossense, achou a corrida pesada e gostosa ao mesmo tempo. Ela enfrentou a maioria dos obstáculos. “Alguns deles exigiam muita força nos braços e também o exercício de memorização, daí tive que pagar burpee para não atrasar mais o resultado final do percurso”. Ela já conhecia o Recanto Botuquara, mas há anos não visitava o local. “Nem parece o Botuquara, com toda essa estrutura montada, todo este público, evento que realmente volta a movimentar este lugar lindo”, confirma.

A atleta Elvira da Silva Brasil, de 54 anos, veio de Curitiba para participar da prova. “Tudo é difícil, mas a gente tem que se superar e foi a minha primeira corrida com obstáculos e quero muito mais, porque aqui desafiei meus próprios limites e vi o quanto eu posso avançar”, descreve.

Alex Martins Silva é do grupo Caveiras, da cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, ele veio pela primeira vez a Ponta Grossa, com um grupo de amigos que já participam de corridas de obstáculos. “A gente procura corridas com obstáculos no Brasil inteiro, e essa é a nossa primeira desde o início da pandemia”. Eles chegaram no sábado, descansaram na cidade depois de quase sete horas de viagem, e se programaram para fazer a prova e ainda curtir o dia no atrativo turístico antes de voltar para casa. “A prova valeu muito a pena, foi a primeira vez que participamos de um Treme Terra Race e os obstáculos estavam muito bem distribuídos, bem montados, e cumpriu o objetivo que é de se divertir e se superar”.

Fausto Rafael Perreto, de Ponta Grossa, ficou sabendo da competição ainda no início das divulgações, em setembro, e logo começou a se preparar. “Eu só frequentava a academia, nem corria, mas comecei a me preparar para o Treme Terra Race, pois parecia um grande desafio. A experiência foi muito bacana e já estou na expectativa do próximo”. Os irmãos dele já praticam corrida e hoje vieram prestigiar o mais novo competidor da família. “Veio meu pai, minha prima, as irmãs, a noiva, a família toda curtir o dia aqui no Recanto Botuquara que é um lugar incrível e que a família não conhecia. Espaço amplo, piscinas, cachoeira, e agora encerrada a prova vamos conhecer e usufruir de toda essa estrutura”, acrescenta.

Para Kleber Cavali, idealizador e organizador do evento aqui em Ponta Grossa, pela Cavali Pró Eventos, confirma que o evento foi um desafio para a equipe e toda a movimentação do domingo coroou dias de muito trabalho em equipe e de muito incentivo por parte dos parceiros do evento, desde os proprietários da área do Botuquara, até do Poder Público, através do Conselho Municipal de Turismo. “Eles confiaram no nosso projeto e hoje entregamos o resultado proposto, que era trazer turistas para as cidades, aumentar a ocupação na rede hoteleira e incrementar o comércio. Isso foi contabilizado com a presença de aproximadamente 400 atletas participantes sendo de outras cidades, e além de virem para a competição ou para diversão na prova, ainda trouxeram amigos e familiares para usufruir das belezas da cidade. Em resumo, a missão foi cumprida, e agora os esforços serão concentrados na segunda edição ponta-grossense do Treme Terra Race”, conclui.

Com informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados