PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Executivo de PG quer aumentar valores de taxas

Ponta Grossa

02 de dezembro de 2021 08:50

Rodolpho Bowens


Relacionadas

Capotamento deixa três feridos e um morto na BR-376

Sintropas suspende atividades devido ao contágio de Covid

Prefeitura recolhe 1,5 tonelada de lixo no Santa Terezinha

MP pede obrigatoriedade da vacinação para as crianças
UEPG lamenta falecimento da servidora aposentada
Delegado reforça tese de crime passional na Palmeirinha
UEPG investe mais de R$ 340 mil em ar-condicionado
Prefeita da cidade de Ponta Grossa, Elizabeth Silveira Schmidt. Foto: Arquivo/aRede.
PUBLICIDADE

Se aprovado, o Valor de Referência (VR) passaria de R$ 86,68 para R$ 100, um aumento acima da inflação

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG), por meio da prefeita Elizabeth Silveira Schmidt (PSD), enviou o Projeto de Lei (PL) nº 334/2021 que aumenta o Valor de Referência (VR) da cidade de R$ 86,68 para R$ 100. Portanto, se a proposta for aprovada pela Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), as taxas e multas no Município terão um aumento de 17%. O texto deu entrada no Poder Legislativo em 29 de novembro e já se encontra na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CLJR) do Poder Legislativo - um parecer deve ser apresentado até 23 de dezembro (as sessões da Casa de Leis encerram no dia 15 do mesmo mês).

A proposta, que altera a Lei nº 6.857/2021, “tem a finalidade de atualizar o fator de referência para o preço dos serviços públicos prestados individualmente para os contribuintes”, que atualmente é de R$ 86,68. A prefeita também explica que o “VR foi fixado em R$ 60 pela Lei nº 11.644/2013, passados oito anos, esse valor não representa mais os custos operacionais dos serviços públicos prestados diretamente aos contribuintes como certidões, serviços administrativos e multas fiscais, posto que a sua atualização para R$ 86,68 não representa a realidade inflacionária do custo dos serviços ao longo da última década”, diz Elizabeth no projeto de lei.

Vale lembrar, que o índice é usado como base de cálculo para as taxas e multas da Prefeitura e o VR é reajustado por decreto, conforme a inflação. Como o valor sugerido, de R$ 100, é maior que a inflação, a prefeita apresentou o projeto de lei para a apreciação dos vereadores. Caso ele venha a ser aceito pelos parlamentares do Poder Legislativo, o novo valor passaria a valer a partir de 1º de janeiro de 2022.

Mudança

Ainda de acordo com a justificativa da proposta, o Poder Executivo explica que “visando mitigar os efeitos inflacionários sobre os custos dos serviços, o projeto de lei prevê que a correção da VR será feita pela média entre os índices IPCA e IGPM, anualmente, o que evitaria a longo prazo a necessidade de correção do Valor de Referência por lei, como ocorre neste momento”, finaliza.

PUBLICIDADE

Recomendados