PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Missa celebra 60 anos de sacerdócio de dois padres

Ponta Grossa

02 de dezembro de 2021 14:56

Da Redação


Relacionadas

Secretária confirma volta às aulas para 8 de fevereiro em PG

Elizabeth anuncia instalação de centro universitário em PG

PG abre credenciamento para interessados em gerir UPAs

Filipe Barros avalia trabalhos e destaca papel de PG no Paraná
Ponta-grossense é ganhador do carro 0 km do Palladium
Procon orienta sobre aumentos de preços de testes de Covid
Prefeitura auxiliará famílias que tiveram casas incendiadas
PUBLICIDADE

Ação de graças será também pelo aniversário de Dom Sergio

Nesta sexta-feira (3), às 10 horas, na igreja Santa Teresinha, no Bairro de Oficinas, em Ponta Grossa, será celebrada Santa Missa em ação de graças pelos 60 anos de sacerdócio dos padres Abrão Becher e Sílvio Mocelin, ordenados em dezembro de 1961 e em plena atividade até hoje. Padre Abrão serve na Paróquia Santa Teresinha e padre Sílvio é pároco da São Pedro e São Paulo, em Telêmaco Borba. A celebração terá também como intenção a vida de Dom Sergio Arthur Braschi, que completa 73 anos neste dia 3.

A missa pode ser celebrada, inclusive, pelo bispo em sinal de respeito e carinho aos sacerdotes aniversariantes. “Eles me pediram, gostariam muito que eu presidisse a celebração, mas tudo vai depender como eu estiver me sentindo no dia”, comenta Dom Sergio, que está passando por procedimentos de saúde para tratar nódulos surgidos na região da garganta. Na ausência do bispo, a celebração será presidida pelo vigário geral da Diocese, padre Jaime Rossa, e concelebrada pelos dois sacerdotes. De acordo com o coordenador da Pastoral Presbiteral, padre Martinho Hartmann, a cerimônia está sendo preparada em conjunto pela Paróquia Santa Teresinha, Pastoral Vocacional e Pastoral Presbiteral. Padres de toda a Diocese vêm sendo convidados a participar. Após a celebração, será oferecido um almoço.

Padre Abrão Becher nasceu em 7 de junho de 1934, em Ponta Grossa. Concluído o curso primário, ingressou no Seminário Menor Diocesano São José, onde cursou os dois primeiros anos do ginásio. Transferiu-se para o Seminário Metropolitano de Azambuja, Brusque (SC), onde concluiu o ginásio e o clássico. Cursou a Faculdade de Filosofia no Seminário Central de São Leopoldo (RS). Cursou a Faculdade de Teologia no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos em Curitiba. Antes de ser ordenado sacerdote, lecionou por algum tempo no Colégio Diocesano São Luiz e foi assessor disciplinário no Seminário Diocesano São José. Foi ordenado presbítero em 3 de dezembro de 1961, na Catedral Sant`Ana.

Padre Sílvio Mocelin é do interior de Ipiranga, do distrito de Pinhão. Nasceu em 13 de fevereiro de 1937. Formou-se em Filosofia pelo Seminário Maior Imaculada Conceição, de Viamão (RS). Cursou Teologia em Curitiba, no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos. Juntamente com padre Abrão, foi ordenado sacerdote em 3 dezembro de 1961, na Catedral. Em 1962, nomeado diretor espiritual e professor no Seminário Diocesano São José. Em 1969, tornou-se reitor do seminário. Em 29 de dezembro de 1974 foi nomeado pároco da Catedral. Em julho de 1975 viajou para a Itália para participar da Escola Sacerdotal do Movimento dos Focolari.  Em abril de 1976, reassumiu o cargo na Catedral. Está na Paróquia São Pedro e São Paulo, de Telêmaco Borba, desde a sua criação, em 2008.

Os dois sacerdotes foram ordenados pelo primeiro bispo da Diocese de Ponta Grossa, Dom Antônio Mazzarotto. Dos presbíteros ordenados por ele, nos 35 anos em que esteve à frente da Diocese, três continuam bastante ativos em seu ministério: padre Nelson Frederico Schiel, de 88 anos; Abrão Becher, 86, e padre Sílvio Mocelin, de 83 anos. Padre Nelson é o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Ipiranga;

Dom Sergio

Dom Sergio Arthur Braschi, bispo da Diocese de Ponta Grossa, comemora 73 anos nesta sexta-feira. Dono de um carisma cativante, Dom Sergio responde pela Igreja Católica na região desde setembro de 2003. O bispo é conhecido por sua jovialidade, cultura e sensibilidade. Muito falante, Dom Sergio se destaca pela forma pedagógica como testemunha de sua fé em suas homilias, sempre citando fatos e histórias que auxiliam o Povo de Deus a vislumbrar os dogmas e o Catecismo da Igreja Católica.

O bispo está passando por longo tratamento, iniciado no dia 23 de novembro, que vai se repetir a cada 21 dias. Na primeira internação, Dom Sergio ficou quatro dias na Santa Casa de Misericórdia, realizando sessões de quimioterapia e imunoterapia. Daqui a 21 dias, o bispo será internado novamente para mais quatro dias de quimioterapia. Outra vez, deixa do hospital, cumpre repouso, aguarda mais 21 dias e volta à terapia. No intervalo desses 21 dias, Dom Sergio realizará alguns exames para verificar como está sendo a evolução de seu quadro clínico. Mas, por orientação médica, deve ficar em casa, em repouso, devido à baixa na imunidade.

PUBLICIDADE

Recomendados