PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Presépio artesanal é montado em paróquia franciscana de PG

Ponta Grossa

02 de dezembro de 2021 15:34

Da Redação


Relacionadas

CEI da Saúde apresentará relatório final em fevereiro

Rapaz nega ser autor do homicídio na Palmeirinha

Leandro anuncia recursos para construção de arena em PG

Triângulo Carnes é sinônimo de economia e qualidade em PG
Valor lançado em IPVA na região é de R$ 342 mi em 2022
Em PG, Sicredi será a instituição financeira com mais agências
Filipe Barros anuncia pré-candidatura ao Governo do PR
PUBLICIDADE

Cenário foi montado no estilo rústico na igreja São Pedro

É tradição entre os católicos montar um presépio em casa. Gesto que ajuda a preparar a celebração do nascimento de Jesus, o presépio é armado em empresas, em espaços públicos e nas igrejas, geralmente, no primeiro domingo do Advento e desmontado no dia 6 de janeiro, data em que se celebra a Solenidade da Epifania do Senhor. O termo vem do latim ‘praesaepe’, que significa estrebaria ou curral. “A presença do Menino Jesus no estábulo demonstra a grandeza de Deus representada na fragilidade de uma criança” resume os escritos cristãos.

São Francisco de Assis criou o presépio, em 1223. Foi ele quem montou o cenário da chegada de Jesus em uma gruta, na Itália. Na época, a Igreja não permitia a realização de representações litúrgicas nas paróquias, mas São Francisco pediu a dispensa da proibição, para relembrar ao povo a natividade de Jesus Cristo. O objetivo de São Francisco era facilitar a compreensão do nascimento de Jesus. No Brasil, a cena do presépio foi apresentada pela primeira vez aos índios e colonos portugueses em 1552, por iniciativa do padre José de Anchieta.

Em uma concepção bem franciscana – rústica - cerca de 14 pessoas ligadas à Paróquia São Pedro Apóstolo, do Bairro Sabará, em Ponta Grossa, fabricaram, utilizando juta, fitas, feno, flores secas, palito de barbante, bolas natalinas, louça, caixa de presente e madeira, as peças do presépio da igreja este ano. Muita coisa feita à mão. Das peças já prontas, só a Sagrada Família, um anjo e os três reis. “Fizemos em madeira um burrinho, uma corsa e três ovelhas. Fizemos dois pinheiros de palets, as estrelas com palito de barbante, as cestas, as rodas de carroça, que, inclusive, foi feita à mão também”, conta a secretária Sibele Leguenza, lembrando que o cenário foi pensando nos mínimos detalhes, com cerca e galinheiro.

O grupo, formado por seis casais de ministros e outros agentes pastorais, se reuniu aos domingos e segundas-feiras para preparar as peças e planejar o presépio. Ele está montado entre o presbitério e as laterais da igreja e pode ser visto, diariamente, até o dia 6 de janeiro.

Significado

Os animais

Representam a natureza a serviço do homem e de Deus. No nascimento de Jesus forneceram calor ao local e simbolizam a simplicidade do local onde Jesus quis nascer.

Pastores

Depois de Maria e José, os pastores foram os primeiros a saberem do nascimento do Salvador. Os pastores também simbolizam a humildade, pois naquele tempo a profissão de pastor era uma das menos reconhecidas.

O anjo

Representa o céu que celebra o nascimento de Jesus. É o mensageiro de Deus, comunicador da Boa Notícia. O anjo do presépio, normalmente, segura uma faixa com a frase ‘Gloria in excelsis Deo’, que significa: Glória a Deus nas alturas.

Estrela

Simboliza a luz de Deus que guia ao encontro do Salvador e orientou os Reis Magos onde estava Jesus. É a indicação do caminho que se deve percorrer para encontrar o Menino Jesus.

Reis Magos

Belchior, Gaspar e Baltazar eram homens da ciência. Conheciam astronomia, medicina e matemática. Eles representam a ciência que vai até o Salvador e o reconhece como Deus. Segundo São João Paulo II, “a verdadeira ciência nos leva à fé”, pois nos revela a grandeza da criação.

Ouro, incenso e mirra

São os presentes que os magos oferecem ao Menino Jesus. O ouro significa a realeza; era um presente dado aos reis. O incenso significa a divindade, um presente dado aos sacerdotes. Sua fumaça simboliza as orações que sobem ao céu. Dando este presente a Jesus, os magos reconhecem que o Menino é divino. E a mirra simboliza o sofrimento e a eternidade. É um presente profético: anuncia que Jesus vai sofrer, mas também que seu reinado será eterno.

São José

É o pai adotivo de Jesus, o homem que o assumiu como filho, que lhe deu um nome, um lar, que ensinou a Jesus uma profissão: a de carpinteiro. São José deu ao Menino Jesus a experiência de ser filho de um pai terreno.

Maria

É a Mãe do Menino Jesus, a escolhida para ser a mãe do Salvador. É aquela que disse ‘sim’ à vontade de Deus, e por ela a humanidade recebeu Jesus.

Menino Jesus

É o Filho de Deus que Se fez homem, para dar sua vida pela humanidade. “Sendo ele de condição divina, não Se prevaleceu de Sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-Se aos homens” (Filipenses 2, 6-7).

PUBLICIDADE

Recomendados