PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Fim de tarde em PG é marcado por mudança de tempo

Ponta Grossa

17 de janeiro de 2022 17:53

Da Redação


Relacionadas

Jovem é morto a tiros na região do Jardim Carvalho

Acidente perto da rodoviária fere motociclista

Delegado Marcus Sebastião deixa importante legado

Cara Nova é destaque na oferta de materiais de construção
PM manterá sede da 1ª Companhia no Parque Ambiental
MCG destaca restauro da sede na 20ª Semana dos Museus
PG abre Centro de Atendimento da Criança
PUBLICIDADE

Alguns bairros foram atingidos por chuvas torrenciais acompanhadas de vento

 

O calorão registrado em Ponta Grossa, nesta segunda-feira (17), não poderia terminar de outra forma. O tempo mudou repentinamente após às 17 horas e o céu azul foi encoberto por nuvens escuras. Alguns bairros foram atingidos por chuvas torrenciais acompanhadas de vento. Estragos também foram registrados. Uma árvore caiu sobre um veículo, com uma mulher no interior, na região do Contorno.

As chuvas voltaram a ganhar intensidade no Paraná em janeiro de 2022, mas ainda estão distantes da média histórica para o mês. Segundo levantamento do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) sobre os primeiros 16 dias do mês, apenas Assis Chateaubriand, Cambará, Cândido de Abreu, Curitiba, Guarapuava, Fernandes Pinheiro, Guaíra, Guaratuba, Lapa, Palmas, Pinhais, Ponta Grossa, Telêmaco Borba e União da Vitória estão a menos de 100 milímetros de atingir a média histórica, enquanto outras 27 cidades ainda estão distantes da régua normal do mês.

O levantamento, divulgado nesta segunda-feira (17), aponta chuvas de 115 milímetros até o momento em Curitiba, faltando 70 mm para alcançar a normalidade (185 mm). Apenas no sábado choveu entre 30 e 50 mm em pontos distintos da Capital.

Pinhais e Guarapuava são as que estão mais próximas da média. A cidade da Região Metropolitana de Curitiba já registrou 174,2 mm de chuva em janeiro, contra 191,5 mm da média (diferença de apenas 17,5 mm). No município do Centro-Sul já choveu 161 mm, contra 185,3 mm da série histórica (restando 24,3 mm).

A região que mais concentrou chuvas foi Guaratuba, com 307 mm até o momento, restando 44,3 mm para a média (351,3 mm). É quase o dobro de precipitações das cidades que também registram chuvas em alta: Pinhais (174,2 mm), Paranaguá (161,8 mm), Guarapuava (161 mm) e Antonina (158 mm).

Os principais déficits são em Foz do Iguaçu (Oeste), restando 275,3 mm (apenas 34,4 mm, contra 309,3 mm de média); Campo Mourão (Noroeste), restando 256,6 mm (apenas 40 mm em janeiro, contra 296,6 mm de média); e Altônia (Noroeste), restando 227,7 mm (53 mm em 2022, contra 280 mm de média).

 

PUBLICIDADE

Recomendados