PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Carta relaciona mortes e guerra de facções em PG

Ponta Grossa

18 de janeiro de 2022 10:06

Igor Rosa


Relacionadas

PG revitaliza espaços públicos e garante novas áreas de lazer

Obras na BR-376 deixam congestionamento em PG

FMS realiza novas etapas de vacinação pediátrica

Jovem é detido após ameaças e violência doméstica em PG
Morte de bebê de 14 dias causa comoção em PG
Linhas do Barreto, Bocaina e Vila Liane mudam na 2ª feira
Feirão do Imposto oferta gasolina a R$ 5 neste sábado
A carta sugere um 'toque de recolher' aos ponta-grossenses. Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

A carta sugere um 'toque de recolher' aos ponta-grossenses porque membros 'fortemente armados do PCC' estarão nas ruas em busca dos autores que, segundo o texto, fazem parte do Comando Vermelho. 

Uma suposta carta escrita pelo Primeiro Comando Capital (PCC) aos ponta-grossenses e ao Comando Vermelho está sendo investigada pelas autoridades policiais da cidade. O texto anuncia uma guerra entre facções e liga os homicídios registrados nos últimos dias ao grupo criminoso denominado 'Comando Vermelho'. O conteúdo tem sido compartilhado pelos grupos de aplicativos de conversa e deixou a população amedrontada em Ponta Grossa. 

Em entrevista exclusiva ao Portal aRede, o delegado-chefe da 13ª Subdivisão Policial, Nagib Nassiff Palma  comentou sobre a suposta carta que anuncia que homens 'fortemente armados, membros do PCC', estão em busca dos autores dos assassinatos. "Sobre essa mensagem, a princípio não temos como confirmar a veracidade neste sentido. Claro que estamos investigando, mas não há nada oficial neste aspecto", disse. "De qualquer forma isso não altera nada para nós, porque nossas equipes estão em planejamento de ataque aos homicídios e tráfico de drogas que, provavelmente, envolvem organizações criminosas. As forças integradas, de forma geral, as autoridades policiais de um modo geral', complementou. 

Na mensagem compartilhada nas redes sociais, supostamente o Primeiro Comando Capital orienta os ponta-grossenses a se recolherem após às 20h para evitar que pessoas inocentes sejam mortas. "A partir da data de hoje, 16 de janeiro, pedimos encarecidamente para que, a partir da 20 horas, se recolham para dentro de suas casas para evitar que mais covardia venham a acontecer, como o caso do menino de apenas 15 anos morto na frente da sua mãe na vila Cipa", diz o texto. "Nós da família PCC não aceitamos essa facção chamada de CV [Comando Vermelho] na cidade, pelas crueldades que vêm fazendo com pessoas inocentes, pessoas trabalhadoras, causando medo e insegurança em toda população", complementa a publicação. 

O delegado reforçou que os crimes que estão sendo registrados em Ponta Grossa são ligados ao tráfico de drogas e também a grupos de organizações criminosas. "É notório, inclusive consta no conteúdo desta mensagem, que os jovens envolvidos no mundo criminal, de uma forma ou de outra, estão afetos a isso, sendo mortos ou até mesmo presos pelas forças policiais", destacou. "Logicamente que estamos verificando e estamos atentos, mas essa preocupação já ocorre desde o ano passado. Este aumento no número de homicídios, infelizmente, envolve jovens que estão inseridos no mundo do crime. Mais de 70% das vítimas tem passagens formais, ligadas direta ou indiretamente com o tráfico de drogas", complementa Nagib. 

Não se sabe a origem da carta que ganhou repercussão na internet, porém o conteúdo afirma que o PCC está em busca dos autores que, possivelmente, fazem parte do Comando Vermelho. "A partir de hoje, todos nossos soldados estarão nas ruas, fortemente armados, na captura dos autores desses crimes bárbaros. Não vamos arredar o pé até derrubar um por um deles.", afirma o texto. 

Somente neste último final de semana, quatro pessoas foram mortas a tiros em Ponta Grossa. O delegado-chefe da Polícia Civil é enfático ao afirmar que um trabalho criterioso está sendo feito e que a população não precisa se preocupar. "Queremos tranquilizar a sociedade, porque estamos trabalhando e atuando. Nestes homicídios, mais cedo ou mais tarde todos os envolvidos serão responsabilizados", finaliza Nagib.

 

PUBLICIDADE

Recomendados