PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PG tem a maior alta no recolhimento de ISS no Sul do país

Ponta Grossa

24 de janeiro de 2022 18:23

Fernando Rogala


Relacionadas

Camisas do Operário ajudarão escola a concluir projetos

Educação de PG convoca mais 25 professores

Curso de Arbitragem segue com inscrições abertas

Sepam avança para fase macrorregional dos JEPs
Agência Móvel atende mais de 500 pessoas no Terminal
Enfermeira de PG que venceu a covid recebe prêmio
PR retomará a fiscalização de cargas pesadas
No ano passado, o município criou o programa Nota PG, para aumentar a arrecadação de ISS a partir de 2021 Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Valor obtido pelo município foi de R$ 110,7 milhões em 2020, o que significou um aumento de 5,7% no ano da pandemia


Ponta Grossa foi destaque, entre os municípios do Sul do Brasil, no recolhimento de um tributo municipal, o ISS, que representa o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza. O levantamento realizado Frente Nacional de Prefeitos (FNP), divulgado na pesquisa Multi Cidades - Finanças dos Municípios do Brasil, revela que o maior município da região dos Campos Gerais do Paraná em termos econômicos foi o que teve o maior crescimento na arrecadação do ISS entre as 15 maiores cidades do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 

Conforme o estudo, que leva em conta o ano fiscal de 2020, comparado com os registros de 2019, entre essas 15 cidades do Sul, apenas duas apresentaram variação positiva na arrecadação deste imposto municipal: Ponta Grossa e Maringá. No caso de Ponta Grossa, a receita do ISS passou de R$ 104,7 milhões para R$ 110,7 milhões, o que representa uma alta de 5,7%; enquanto que em Maringá, o valor de R$ 226,9 milhões passou para R$ 229,1 milhões, em incremento de 1%. Esses valores, informa a publicação, estão devidamente corrigidos pelo IPCA médio de 2020. 

Tanto Ponta Grossa quanto Maringá apresentam uma situação bastante diferenciada em relação as outras grandes cidades do Sul, onde o valor médio dessa arrecadação em 2020 foi 3,9% menor que em 2019, sendo que a região foi a segunda com maior redução, ficando atrás apenas do Nordeste, que teve o recolhimento 4,6% menor que no ano anterior. Londrina, por exemplo, teve um declínio significativo em sua arrecadação, de 8,6%, diminuindo o total recolhido de R$ R$ 262,6 milhões para R$ 240,2 milhões, enquanto que em Curitiba a retração foi de 6,9%, perdendo quase R$ 100 milhões (baixa de R$ 1,39 bilhão em 2019 para R$ 1,29 bilhão em 2020). 

Em valores absolutos, os R$ 110,7 milhões recolhidos em Ponta Grossa colocam a cidade na 70ª colocação nacional entre as cidades que mais arrecadam ISS no Brasil. Em crescimento, entre as 100 maiores cidades brasileiras, apenas duas cidades que arrecadam mais de R$ 100 milhões em ISS tiveram desempenho melhor que Ponta Grossa: Marabá (PA), com alta de 8,1% (R$ 93,8 milhões para R$ 101,4 milhões) e Vila Velha (ES), com alta de 16,1% (de 141,1 milhões para R$ 163,8 milhões). 

Como o secretário municipal da Fazenda, Claudio Grokoviski, esclareceu ao Portal aRede e JM, entre os fatores que contribuíram para esse destaque no ISS foram grandes obras realizadas na cidade, tanto de indústrias quanto de obras de infraestrutura. “Esse crescimento na construção, quando grandes indústrias fazem ampliações ou há grandes obras de infraestrutura, faz com que o município tenha reflexos diretos, e o ISS fica para o município onde o serviço foi feito”, revelou. Conforme ele informou à reportagem ao final de 2020, as obras realizadas nas indústrias Heineken, DAF e Madero geraram mais de R$ 4,6 milhões aos cofres do município entre 2019 e 2020. Já a CCR RodoNorte havia pago mais de R$ 1,5 milhão em ISS por obras em interseções rodoviárias, ao passo que a Engie tinha recolhido mais de R$ 1,2 milhão, pagos ao município, durante a construção do sistema de transmissão de energia Gralha Azul.


Arrecadação teve retração de 2,9% nos municípios brasileiros

De acordo com o estudo, a baixa não é exclusiva na região Sul em geral: “a crise sanitária e econômica causada pela pandemia da Covid-19 fez a arrecadação do imposto sofrer uma queda de 2,9% em 2020”, informa a publicação. O total arrecadado em ISS pelas cidades brasileiras foi de R$ 71,77 bilhões, valor que é R$ 2,11 bilhões inferior ao acumulado em 2019, já com os valores atualizados pela inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).


PUBLICIDADE

Recomendados