PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Centro de Convivência da UEPG é ponto de vacinação da covid

Ponta Grossa

25 de janeiro de 2022 11:04

Da Redação


Relacionadas

PG abre Centro de Atendimento da Criança

Super bebê de 4,8 quilos nasce no Humai-UEPG

Ex-presidiário espanca gestante e mata cão em PG

Após 25 anos, delegado Marcus Sebastião deixa a Polícia Civil
Simepar prevê temperatura de 1ºC em PG nesta terça-feira
Profissão gari: conheça o dia a dia destes profissionais em PG
PRF faz operação em PG de combate à violência sexual
PUBLICIDADE

A aplicação da dose de reforço de alguns públicos-alvos aconteceu no Campus Uvaranas

No último sábado (22), foi dia de (re)ver o Campus Uvaranas. Professores, servidores e egressos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) estavam dentro do público-alvo da vacinação de reforço contra covid-19, realizada no Centro de Convivência. As doses de reforço foram aplicadas em profissionais da educação que receberam a primeira dose até 24 de setembro de 2021.

“A UEPG sempre foi e será uma grande defensora da vacinação”, enfatizou o reitor, professor Miguel Sanches Neto. Durante o sábado, profissionais da UEPG, do Hospital Universitário e alunos de cursos da Saúde, em parceria com as equipes de imunização da Prefeitura de Ponta Grossa, aplicaram 2231 doses, com tempo médio de espera de 10 minutos. “Queria agradecer aos alunos e às alunas que trabalharam neste mutirão para ajudar na vacinação em Ponta Grossa e às equipes da UEPG e do HU. No próximo sábado, teremos mais vacinação no Campus de Uvaranas”, anunciou.

De dentro do bebê-conforto, o pequeno Mateo, de apenas seis meses de idade, tinha um olhar curioso para tudo que estava acontecendo. Além de acompanhar o pai, Jean Inglez, na terceira dose da vacina, ele também já visitou o lugar onde Jean e Emanuele se conheceram. “A UEPG foi muito importante na nossa história, ela que nos uniu fortemente”, conta a mãe. Os dois são formados em Administração na UEPG e trabalharam juntos na Universidade, ele na Pró-reitoria de Graduação (Prograd), ela como estagiária no Bloco F.

Por isso, retornar ao Campus Uvaranas foi um momento memorável para a família, de matar as saudades. “Eu me formei na UEPG, trabalhei na UEPG, continuo acompanhando tudo que acontece na Universidade e tomar a terceira dose da vacina aqui é um sentimento muito especial”, aponta Jean. Emanuele, que também já finalizou o ciclo vacinal contra covid-19, emocionou-se: “Estava com lágrimas nos olhos de voltar e ver todos os pontos onde a gente ficava namorando, esperando o ônibus chegar. Está tudo renovado no Campus, gostei muito. Muito top!”.

Voluntariado

O professor Edmar Miyoshi, responsável técnico pela Farmácia do HU e um dos organizadores da logística do mutirão, conta que 24 acadêmicos de Enfermagem e seis acadêmicos de Farmácia atuaram de forma voluntária neste sábado, aplicando na prática os conhecimentos adquiridos durante os cursos. “É gratificante presenciar a ação voluntária dos acadêmicos. Quando dissemos que precisávamos de ajuda para auxiliar na campanha de vacinação, eles rapidamente se prontificaram a ajudar”, conta Edmar. “Isto demonstra que os acadêmicos estão conscientes da importância deles na sociedade”. O trabalho reforça a noção de que a saúde envolve não somente a cura, mas também a prevenção das doenças, segundo o professor.

Uma dessas voluntárias foi a acadêmica do 3º ano de Enfermagem, Jéssica Karine dos Santos. Pela primeira vez, ela atuou na vacinação contra a covid-19. “É muito bom poder ajudar a população, além de contribuir para minha formação”, comemorou.

Esperança

Para quem recebe mais uma dose da vacina, o sentimento é de gratidão. É isso que relata a enfermeira Hevelyn Traleski, residente em Urgência e Emergência no HU-UEPG. “Passei a semana inteira trabalhando na vacinação, mas hoje, especificamente, estou aplicando”, explica. “Desde o começo, sempre quis fazer parte da vacinação, e agora vacinar esse grupo tão importante para a gente, que são os nossos professores… É muita gratidão”.

A professora Ana Paula de Souza, que trabalha na Escola Municipal Maria Laura Pereira, resume a importância dos mutirões de vacinação contra a covid-19: “Quanto mais pessoas vacinadas, com certeza é melhor”. Para ela, cada seringa utilizada neste sábado injetou mais uma dose de esperança e de alívio, para que o trabalho continue com um pouco mais de segurança.

Com informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados