PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Sesa registra novas mortes e PG soma 5 óbitos por H3N2

Ponta Grossa

25 de janeiro de 2022 18:29

Da Redação


Relacionadas

Vídeo mostra ação de bandidos em tabacaria de PG

Motorista dorme ao volante e capota carro em rodovia de PG

Programa amplia ações de combate à fome em PG

Acidente no Jardim Carvalho deixa um ferido
Feto é encontrado em caixa de recicláveis em PG
aRede tem 10 vezes mais audiência que soma de sites de PG
Portal aRede possui maior audiência no interior do Paraná
A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 1.650 casos e 55 mortes em 212 municípios Foto: Geraldo Bubniak/AEN
PUBLICIDADE

Desde dezembro já foram registrados 1.650 casos e 55 mortes em 212 municípios do Estado. Os novos óbitos foram registrados em Curitiba, Faxinal, Londrina, Nova Laranjeiras e Ponta Grossa

Mais 134 casos e sete óbitos em decorrência da H3N2 foram confirmados pela secretaria estadual da Saúde no Paraná As informações foram extraídas nesta terça-feira (25) por meio do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL).

 A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 1.650 casos e 55 mortes em 212 municípios do Estado. Os novos óbitos foram registrados em Curitiba (2), Faxinal (1), Londrina (1), Nova Laranjeiras (1) e Ponta Grossa (2) e ocorreram entre os dias 5 e 23 de janeiro deste ano. As mortes referem-se a quatro homens e três mulheres com idades de 34 a 89 anos.

“Conseguimos esses dados semanalmente após investigação epidemiológica e sabemos que os números não representam a realidade. Devemos ter aproximadamente trinta vezes mais diagnósticos de gripe no Paraná do que temos registrado até agora”, afirma o secretário da Saúde, Beto Preto

EPIDEMIA - No último dia 12, o Paraná declarou estado de epidemia de H3N2, considerando o rápido contágio, direto ou indireto da doença. Normalmente o vírus da gripe circula durante os períodos mais frios, porém, este ano a infecção pela doença aumentou no verão, de maneira atípica.

 “O vírus não escolhe idade ou um grupo. Temos registros de pessoas contaminadas de todos os perfis e óbitos de 19 a 100 anos. Mais do que nunca os cuidados como uso de máscaras, lavagem das mãos e principalmente a vacinação, são indispensáveis”, alertou o secretário.

Um óbito de Curitiba divulgado no dia 21/01/2022 foi alterado para o município de Ponta Grossa.

PUBLICIDADE

Recomendados