‘Sempre UEPG’ quer modernizar universidade de Ponta Grossa

Chapa de número 2 busca liderar a Universidade Estadual de Ponta Grossa de 1º de setembro de 2022 até 31 de agosto de 2026; eleições acontecem em abril.

À esquerda, Miguel Sanches Neto, e à direita, Ivo Mottin Demiate.
À esquerda, Miguel Sanches Neto, e à direita, Ivo Mottin Demiate. -

Rodolpho Bowens

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Chapa de número 2 busca liderar a Universidade Estadual de Ponta Grossa de 1º de setembro de 2022 até 31 de agosto de 2026; eleições acontecem em abril

Modernizar a universidade pública, ampliar a participação da Instituição de Ensino Superior (IES) na comunidade, promover a reposição do quadro de pessoal e buscar o protagonismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Essas são algumas das propostas que a chapa ‘Sempre UEPG’ apresenta na sua candidatura à reitoria da universidade ponta-grossense. Com a parceria de Miguel Sanches Neto (reitor) e Ivo Mottin Demiate (vice), as eleições acontecem em 9 e 13 de abril, com a chapa vencedora sendo divulgada a partir das 22h do dia 13. A nova gestão da reitoria da UEPG valerá de 1º de setembro de 2022 até 31 de agosto de 2026 (mais informações clique aqui).

Em entrevista para o Portal aRede na tarde desta quarta-feira (16), Miguel, que busca a sua reeleição, explicou “o desejo de concluir aquele projeto iniciado em 2018”, mas, desta vez, tendo Ivo como vice. “Uma pessoa íntegra, da minha mais inteira confiança, e que, com certeza, junto comigo, vai ser um parceiro para todas as horas e não vai me abandonar no meio de um problema para fazer outro projeto político”, ressaltou sobre a escolha de Ivo para ser seu companheiro de chapa.

Na sequência, ao ser questionado sobre quais são os projetos da chapa de ‘número 2’, Miguel comentou sobre a “valorização das pessoas, dos cursos e principalmente das decisões coletivas”. Além disso, ele falou sobre a ideia de modernização “administrativa, da nossa legislação e das nossas infraestruturas. Construir uma universidade que, cada vez mais, seja o orgulho dos Campos Gerais”, completou o atual reitor licenciado (por conta do processo eleitoral) da UEPG.

Ainda sobre os projetos que a ‘Sempre UEPG’ pretende implementar, caso seja eleita, Miguel destacou a necessidade de reposição no quadro de funcionários da IES. “Precisamos, urgentemente, reconstruir o quadro da universidade, para que ela possa prestar cada vez mais o serviço que ela realiza a toda a nossa comunidade”, disse o candidato a reitor da universidade ponta-grossense. No decorrer da entrevista, ele também foi questionado sobre alguns pontos específicos: ensino/pesquisa/extensão; Hospital Universitário dos Campos Gerais (HU-UEPG); infraestrutura da universidade; acessibilidade dentro da instituição; saúde mental dos alunos, funcionários e professores; Hospital Universitário Materno Infantil (Humai-UEPG); e o retorno social da universidade pública.

A entrevista na íntegra, com todas as respostas sobre os temas acima, bem como a opinião de Miguel sobre o outro candidato a reitor pela chapa ‘UEPG: importante é você’, Everson Augusto Krum, está disponível no vídeo abaixo: