PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Aliel questiona reajuste na tarifa do novo pedágio do PR

Ponta Grossa

19 de maio de 2022 14:23

Rodolpho Bowens


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

Arraiá do Colégio Alfa arrecada doações para entidades de PG

Saúde fará mutirão de vacinação nesta semana em PG

Empreendedora de PG ajuda pessoas a conquistarem renda extra

Jovem de PG vai representar o Paraná em missão nacional
Instituição de PG facilita acesso ao crédito a empreendedores
Prefeitura de Ponta Grossa distribui Cartão Comida Boa
Professoras da UEPG participam de evento na Fiocruz
Deputado federal de Ponta Grossa, Aliel Machado Bark (PV). Foto: Divulgação/Assessoria.
PUBLICIDADE

Para o parlamentar, o reajuste antes mesmo do início do contrato é inadmissível e prejudica a população e o setor produtivo

O deputado federal Aliel Machado (PV) utilizou o plenário da Câmara dos Deputados para falar sobre a renovação dos contratos de pedágio do Estado do Paraná. De acordo com um estudo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), divulgado esta semana, existe a possibilidade de recomposição na tarifa básica do novo pedágio do Paraná antes mesmo do lançamento do edital de licitação. O parlamentar paranaense considerou a medida inadmissível. 

De acordo com Aliel, o Governo deixou a renovação para depois das eleições e, mesmo antes do início da futura concessão, já prevê aumento no valor das tarifas. “É mais uma tentativa de enganar a população paranaense e o setor produtivo. Pagamos por mais de duas décadas por um pedágio caríssimo, com desvios de dinheiro público, obras inacabadas e agora, antes mesmo da nova concessão, se anuncia um aumento de 30% no valor previsto e a criação de 15 novas praças. É inadmissível uma situação como esta”, afirmou Aliel. 

Ainda segundo o parlamentar, essa medida afetará a economia do Paraná. "A infraestrutura tem um impacto direto na economia. O pedágio tem que existir, mas tem que ser num preço justo com as obras. Tomaremos providências nos órgãos de controle com relação a isso”, revelou ele. 

A concessão do pedágio conhecido como "Anel de Integração" no Paraná terminou em novembro do ano passado. Foram 24 anos de contrato com tarifa alta, retirada de obras previstas e comprovação de desvio de recursos. O novo modelo de pedágio prevê seis lotes que totalizam 3.300 quilômetros de concessão e 15 novas praças de pedágio.

Com informações: assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados