PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Gasolina de PG é uma das mais caras da região e do PR

Ponta Grossa

25 de maio de 2022 19:28

Da Redação


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

Briga de cachorros termina com dois homens feridos

Morte de engenheira da Prefeitura de PG causa comoção

PG amplia investimentos na área de educação

Nova turma do Programa ‘Decola’ inicia na quinta-feira
Morre rapaz que foi alvejado por tiros em avenida de PG
Acuidar PG é referência no cuidado em domicílio
Arraiá do Colégio Alfa arrecada doações para entidades de PG
Na pesquisa da ANP, em 15 postos, variação de preço entre os postos mais baratos e mais caros é de apenas R$ 0,10 Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Entre as 27 cidades paranaenses com o levantamento de preços da ANP, Ponta Grossa tem o 12º valor mais alto. Entre os postos mais em conta, valor do litro é mais caro do que em cinco cidades vizinhas

Ponta Grossa possui, hoje, uma das gasolinas mais caras da região dos Campos Gerais e do Estado do Paraná. Levantamentos feitos pela reportagem do Jornal da Manhã e Portal aRede junto aos sistemas da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Menor Preço mostram que em diversos outros municípios é possível comprar o combustível mais barato do que em Ponta Grossa. Tanto em um posto, quanto no preço médio praticado por inúmeros postos existentes nos municípios. 

No levantamento da ANP, com os preços coletados entre os dias 15 e 21 de maio, o preço médio desse combustível em Ponta Grossa estava na casa de R$ 7,27, com base na coleta de preços junto a 15 postos de combustíveis na cidade. Nesses postos, os preços desse combustível variavam entre R$ 7,19 e R$ 7,29, ou seja, apenas R$ 0,10. Foi a terceira menor diferença observada nas 27 cidades paranaenses onde a ANP faz o levantamento mensal de preços – diferença menor foi observada apenas em Santo Antônio da Platina, de R$ 0,06 em oito postos (R$ 7,19 o mais barato e R$ 7,25 o mais caro) e em São José dos Pinhais, de R$ 0,05 em 15 postos pesquisados (R$ 7,34 a R$ 7,39).

No ranking estadual, entre as 27 cidades, o preço praticado em Ponta Grossa é o 12º mais alto, com o litro, em média, R$ 0,43 mais caro do que em Paranavaí, onde há o combustível mais barato do Paraná, R$ 6,84 em média; e R$ 0,16 mais barato do que o combustível mais caro, comercializado em Apucarana, a R$ 7,43. O segundo combustível mais caro do Paraná é de Cornélio Procópio, a R$ 7,36 o litro (R$ 0,09 mais caro do que em Ponta Grossa). Guarapuava, por sua vez, tem o segundo combustível mais barato do Paraná, onde é vendido a R$ 6,95, em média (R$ 0,31 mais barato que em Ponta Grossa) – o posto mais barato da cidade vende a gasolina a R$ 6,59 o litro.

Já no sistema do Menor Preço é possível ver a movimentação de todos os postos da cidade e da região. Com os valores atualizados nas últimas 24 horas, ou seja, pegando os valores praticados entre esta terça (24) e quarta (25), o menor preço praticado em Ponta Grossa é em um posto às margens da rodovia, na avenida Souza Naves, a R$ 7,03. Contudo, em diversos municípios da região, vizinhos de Ponta Grossa, é possível encontrar preços abaixo do praticado na cidade. Entre os exemplos estão Tibagi (R$ 6,99), Irati (R$ 6,99 em cinco postos), Carambeí (R$ 6,97) e Castro (R$ 6,97 em dois postos). Mas nenhum deles ganha dos preços praticados em Palmeira: o lugar mais barato vende a gasolina a R$ 6,56 o litro, enquanto que outro preço, comercializa o litro do combustível a R$ 6,82.


Postos da cidade foram multados pelo Procon por práticas abusivas

Em abril deste ano, o Procon de Ponta Grossa multou três postos de combustíveis da cidade em mais de R$ 300 mil  por práticas abusivas junto a consumidores. As ações foram registradas após a verificação de denúncias encaminhadas pela população e Ministério Público do Estado. Na oportunidade, os valores ofertados aos consumidores nos painéis de preços eram diferentes daqueles constantes nas bombas. O Procon informa que conta com a população quanto às denúncias contra postos, com registro de fotografias sobre o ocorrido, que devem ser encaminhadas junto com a reclamação para o órgão.

PUBLICIDADE

Recomendados