PUBLICIDADE

Elizabeth enfrenta chuva e barro em dia de caos em PG

Pelo menos cinco pessoas -dentre elas um deficiente visual -, foram retiradas pelo Corpo de Bombeiros numa operação de resgate que contou com embarcação.

Equipes da Defesa Civil percorreram diferentes bairros da cidade, nesta quinta-feira (2)
Equipes da Defesa Civil percorreram diferentes bairros da cidade, nesta quinta-feira (2) -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Pelo menos cinco pessoas -dentre elas um deficiente visual -, foram retiradas pelo Corpo de Bombeiros numa operação de resgate que contou com embarcação.

As fortes chuvas que atingem Ponta Grossa desde à madrugada desta quinta-feira (2), provocaram vários estragos em alguns bairros do Município. Os casos mais graves se concentraram no final da Rua República São Salvador, na Vila Madureira. O arroio que corta a região transbordou e alagou vários imóveis. Pelo menos cinco pessoas -dentre elas um deficiente visual -, foram retiradas pelo Corpo de Bombeiros numa operação de resgate que contou com embarcação.

Toda a cidade está mobilizada para ajudar as vítimas da enchente. A prefeita Elizabeth Schmidt, sensível à situação das famílias, pessoalmente percorreu essas comunidades, garantindo apoio e ajuda. “Hoje estive em áreas atingidas por alagamentos causados pelas fortes chuvas. Junto com Defesa Civil e Corpo de Bombeiros estamos prestando atendimento às famílias atingidas”, disse a chefe do Executivo numa postagem em rede social.

Sobre a Vila Madureira, a assessoria de imprensa da Prefeitura emitiu nota no fim da tarde, detalhando os procedimentos adotados pelo Executivo. “A Defesa Civil de Ponta Grossa já esteve no local da situação de alagamento na vila Madureira. Cinco pessoas afetadas pelas chuvas na região foram encaminhadas para casas de parentes e para a Casa da Acolhida. Neste momento, a Prefeitura busca oferecer todo o suporte possível aos atingidos e trabalha na realização de ações de limpeza dos arroios no intuito de minimizar os impactos das chuvas no Município”, informou.

Eduardo Marques, secretário Municipal de Serviços Públicos e Presidente, também usou as redes sociais para falar das ocorrências causadas pelas fortes chuvas. “Tá aí a contribuição de entulho, muito lixo e o descarte errado de inservíveis...alagamentos!! Enquanto não acontecer a conscientização de todos vai ser difícil, nós da prefeitura, resolvermos estes problemas. Lembrando que as equipes da Prefeitura realizam periodicamente a limpeza destes locais. Mais uma vez, vamos limpar e deixar normal o fluxo das águas do arroio”, detalhou.

Para os moradores do local, as enchentes são recorrentes e acontecem pela falta de manutenção e limpeza de manilhas e do arroio. “Estávamos dormindo. Acordei com a minha filha gritando na parede que a casa estava inundada, quando levantamos era geladeira no chão, tudo alagado, eu perdi tudo. Não deu tempo de salvar nada, só deu tempo do meu genro tirar meus netos e levá-los para outo lugar. Na hora estávamos eu, meu marido, meus dois netos e o genro com minha filha”, comentou a moradora que se identificou pelo nome de Marli. Ela disponibilizou o celular 42 999008771 para receber ajuda da população.

Segundo o Simepar, as chuvas vão diminuir a partir desta sexta-feira (3). “As precipitações se afastam do Paraná e não há previsão da formação de geadas. As temperaturas ficam mais baixas na área de divisa com Santa Catarina”, informou o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná.

PUBLICIDADE

Conteúdo de marca

Quero divulgar right

PUBLICIDADE