PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Maternidade do Humai-UEPG realiza 1,3 mil consultas mensais

Ponta Grossa

06 de junho de 2022 19:50

Da Redação


Relacionadas

Ponta Grossa sedia Circuito de Xadrez neste sábado

Moradores da Ronda pedem melhorias para rua do bairro

Rodrigo Manjabosco é ouvido pela CPI da Saúde

Festas religiosas movimentam três paróquias da região
Passeio ciclístico inaugura ciclofaixa Estelio Viatroski
Santa Casa realiza solenidade com deputado Plauto Miró
Prefeitura aumenta repasses para 23 entidades sociais de PG
Os 30 leitos da maternidade, que hoje compõem os 72 leitos do Humai, recebem pessoas de várias camas sociais. Foto: Jessica Natal/UEPG
PUBLICIDADE

O Humai é referência no atendimento a pacientes de risco habitual e intermediário, além de ser porta aberta para pacientes que não têm pré-natal, referenciadas ou que estão em visita a Ponta Grossa e necessitam de atendimento de emergência


A maternidade do Hospital Materno-Infantil da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Humai-UEPG) completa, neste mês, seis anos de existência. Com um trabalho multiprofissional para garantir assistência a mães e bebês, a instituição contabiliza a média mensal de 1300 atendimentos somente na obstetrícia, tanto para trabalho de parto, quanto para tratamento obstétrico. A equipe destaca a conquista em revolucionar o conceito de parto humanizado na região, por meio do conhecimento e trabalho especializado em atendimento obstétrico.

O atendimento é completo, com estímulo ao parto normal humanizado. Mulheres gestantes que estiverem internadas no Humai podem contar com o trabalho das enfermeiras obstétricas; equipe de residentes em enfermagem obstétrica; residentes em medicina obstétrica; três obstetras plantonistas; dois pediatras plantonistas; assistentes sociais; psicólogos; fonoaudiólogos; fisioterapeutas; e dentistas. “Por sermos um Hospital escola, oferecemos um atendimento completo, do pré ao pós-parto”, explica a chefe de enfermagem do Humai, Thalita Celinski.

Além do trabalho de enfermeiros e médicos, a atuação da equipe multiprofissional engloba a fonoaudiologia na orientação para o aleitamento materno, na oralidade, manejo e pega e, caso necessário avaliação, o dentista entra para realizar procedimentos. A fisioterapia, além do atendimento aos bebês, aplica lazer nas mães que têm fissura na mama. O acolhimento e escuta fica a cargo dos psicólogos e assistentes sociais. Para Thalita, a qualidade do atendimento faz com que a demanda cresça. “Muitos chegam aqui porque querem ter seus filhos conosco, mesmo fazendo o pré-natal em planos particulares. Eles querem aqui, porque sabem da qualidade do atendimento”. Os 30 leitos da maternidade, que hoje compõem os 72 leitos do Humai, recebem pessoas de várias camas sociais. “Temos um público bem diferenciado, muito pela qualidade da nossa assistência. Por se tratar de um Hospital Universitário, sabemos que ele é bem completo, pois é o único que faz os testes da língua, pé, olho, coração e orelha”, informa.


Com informações da Universidade Estadual de Ponta Grossa

PUBLICIDADE

Recomendados