PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Enfermeira formada na UEPG salva vida de bebê prematuro

Ponta Grossa

23 de junho de 2022 14:12

Da Redação


Relacionadas

Ponta Grossa sedia Circuito de Xadrez neste sábado

Moradores da Ronda pedem melhorias para rua do bairro

Rodrigo Manjabosco é ouvido pela CPI da Saúde

Festas religiosas movimentam três paróquias da região
Passeio ciclístico inaugura ciclofaixa em Ponta Grossa
Santa Casa realiza solenidade com deputado Plauto Miró
Prefeitura aumenta repasses para 23 entidades sociais de PG
PUBLICIDADE

O ato de Ianka foi crucial para o que veio a seguir. Pela falta de uma incubadora, a equipe improvisou uma incubadora de transporte

O doze de abril ficará para sempre marcado na memória da enfermeira obstétrica Ianka do Amaral. Foi o dia em que Elisa Vitória nasceu. Com 26 semanas, 14 a menos do que a maioria dos bebês, e pesando 1kg, a menina nasceu prematura, com risco de vida. A volta para casa da pequena, nos braços da mãe, aconteceu graças ao trabalho rápido de Ianka e equipe, que agiu para garantir a vida até a chegada na UTI Neonatal. Formada em Enfermagem pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e em Enfermagem Obstétrica pelo Hospital Materno-Infantil da UEPG (Humai), Ianka destaca a influência do aprendizado na instituição na sua atuação profissional.

A primeira ação de Ianka foi garantir a proteção térmica do bebê, por conta do baixo peso e pouca camada de gordura. “Recebemos uma ligação do domicílio solicitando uma ambulância para uma gestante em trabalho de parto. Uma das técnicas em enfermagem e o motorista foram até o endereço e lá estava a pequena Elisa. A equipe trouxe rapidamente a mãe e a bebê ao Hospital”, relembra Ianka. Ao chegar no Hospital, a enfermeira cobriu o corpo do bebê com papel alumínio, para auxiliar na regulação térmica, que serviu como barreira e evitou a perda de calor.

O ato de Ianka foi crucial para o que veio a seguir. Pela falta de uma incubadora, a equipe improvisou uma incubadora de transporte. “Decoramos, fizemos pequenos furos na bacia para a entrada e suporte de oxigênio. Dessa forma, a Elisa foi segura e sem riscos de perder temperatura até Teresina”. Após os primeiros socorros realizados por Ianka e equipe, no Hospital de Pequeno Porte Milton Reis, em Baixa Grande do Ribeiro, no Piauí, Elisa pôde ser transferida para Teresina em segurança, para uma UTI Neonatal e continuar o tratamento.

Ianka iniciou sua história na UEPG em 2014, quando entrou para cursar Bacharelado em Enfermagem. Em 2019, após a formatura, iniciou a Residência em Enfermagem Obstétrica na maternidade do Hospital Universitário. A enfermeira acompanhou a mudança para o prédio do Humai, em 2020, e se formou em outubro de 2021. “A maternidade do HU/Humai me ensinou sobre a importância do trabalho multiprofissional dentro da equipe de saúde. Também me preparou para o mercado de trabalho e as diferentes situações de emergência que o enfermeiro enfrenta no dia a dia na saúde materno-infantil”, ressalta.

Apesar de residir no Piauí, Ianka não rompeu suas relações com a UEPG. Atualmente, estuda mestrado em Ciências da Saúde na instituição. O fato do conhecimento adquirido no Hospital a acompanhar na rotina de trabalho contribuiu para que a pequena Elisa Vitória voltasse para casa com vida. “Ajudar a salvar vidas é o que nós da enfermagem fazemos todos os dias – salvamos com orientações, cuidados, ciência e com muito amor, sempre tratando cada paciente com individualidade e de forma holística. Salvar vidas é fazer a diferença na vida de cada paciente que passa por nós”, completa.

 

PUBLICIDADE

Recomendados