Suspeito de matar diretor de obras é identificado pela polícia

A morte de Meyer Neto aconteceu em um domingo, no dia 29 de maio, no bairro Santa Cândida, em Curitiba

Augusto Meyer Neto era Diretor de Obras da Prefeitura de Curitiba.
Augusto Meyer Neto era Diretor de Obras da Prefeitura de Curitiba. -

Da Redação

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A morte de Meyer Neto aconteceu em um domingo, no dia 29 de maio, no bairro Santa Cândida, em Curitiba

A Polícia Civil identificou o suspeito de atirar e matar o diretor de obras da Prefeitura de Curitiba, Augusto Meyer Neto, de 61 anos, na noite do dia 29 de maio. Imagens de um posto de combustíveis, próximo ao local do crime, foram descobertas pela equipe de investigação e divulgadas pelo programa Bora Paraná, da TV Bandeirantes.

As câmeras de segurança do local registraram a dupla que estava a bordo do gol vermelho envolvido no crime. Eles pararam o veículo no estabelecimento para abastecer e fazer compras na loja de conveniência. A identidade dos dois foi confirmada pelo Instituto de Identificação do Paraná.

O motorista do carro já confessou o envolvimento no crime e segue preso. O atirador teve o pedido de prisão decretado e é procurado pela polícia.

O carro em que estavam os suspeitos foi encontrado no dia 13. O veículo estava na Rua Maria Inácia Nogueira Grassi, em Piraquara, região metropolitana de Curitiba (RMC).

Caso

A morte de Meyer Neto aconteceu em um domingo, no dia 29 de maio, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que o diretor foi assassinado.

No vídeo registrado por câmeras de segurança, é possível ver o momento em que um Volkswagen Gol se atravessa na frente do carro do diretor e o faz parar. Ele tenta acertar o assaltante que revida. Ele acaba morto e os assassinos fogem.

Os policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) assumiram a investigação após a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluir que o caso se trata de um latrocínio (roubo seguido de morte) e não um crime de homicídio.

Mais informações no Portal Banda B