Heineken mais do que dobra capacidade produtiva em PG

Capacidade instalada na planta fabril aumentará 117,3% em relação ao final de 2019, com a ampliação já realizada entre 2020 e 2021, e com a nova expansão em execução na cervejaria

Investimento realizado entre 2020 e 2021 na cidade superou a marca de R$ 1 bilhão
Investimento realizado entre 2020 e 2021 na cidade superou a marca de R$ 1 bilhão -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

A cervejaria Heineken recebeu a licença ambiental para a ampliação da fábrica em Ponta Grossa. A súmula de recebimento da ‘Licença de Instalação de Ampliação’, emitida pelo Instituto Água e Terra do Paraná (IAT), para a ‘produção de cerveja e chope’ foi publicada na edição desta quinta-feira (11) do Diário Oficial do Estado. Esta é a segunda ampliação recente pela qual passa a fábrica em Ponta Grossa – a primeira foi iniciada no primeiro trimestre de 2020, e concluída no segundo semestre do ano passado. As duas ampliações, somadas, farão a capacidade de produção instalada da fábrica mais do que dobrar.

Esta licença de ampliação se refere ao Projeto Interlagos 2, confirmada no final de 2021, que irá elevar a capacidade de produção atual da fábrica em 25%. Com isso, a fábrica poderá fabricar até 3,1 milhões de litros de cerveja por dia, contra os 2,4 milhões de litros atingidos após a conclusão do Projeto Interlagos 1, concluído no ano passado. Até o início de 2020, a capacidade instalada da fábrica era de 1,42 milhão de litros, o que representa uma elevação de 117,3% na capacidade instalada desde então. Em outras palavras, a planta fabril da cidade poderá produzir mais de 90 milhões de litros por mês e cerca de 1,13 bilhão de litros (ou 11,3 milhões de hectolitros) ao ano.


DETALHES

Entre os investimentos previstos para essa ampliação na planta localizada no Distrito Industrial do município, além da elevação na capacidade de produção de cervejas e chopes, está a construção de duas subestações de energia de 34,8 kV, ampliação da Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), instalação de planta de biometano, além da construção de uma nova lojinha de produtos e de estacionamentos, bem como a ampliação do refeitório, dos vestiários, da área logística, entre outras obras. 

Recentemente, a reportagem do Portal aRede solicitou mais informações sobre essa expansão, como os valores a serem aplicados e a previsão de conclusão das obras, mas obteve o retorno que por motivos estratégicos, a Heineken não está detalhando esse investimento.

Ampliação foi uma necessidade

Essa expansão é necessária diante de um investimento que inicialmente foi projetado para a região metropolitana de Belo Horizonte (Pedro Leopoldo), em Minas Gerais, mas que foi cancelado, pelo fato de que a área onde seria construída a fábrica fazia parte de uma Área de Proteção Ambiental, a APA Carste de Lagoa Santa. A nova fábrica deveria entrar em operação em 2023, mas com o cancelamento dessa obra, houve a demanda de ampliar a produção em outras cervejarias, para suprir a capacidade de produção necessária para o período – e uma das cervejarias escolhidas para esse aporte foi a de Ponta Grossa. Um novo investimento da Heineken está previsto para Passos, também em Minas Gerais, previsto para operar a partir de 2025.

Expansão recente foi superior a R$ 1 bi

O investimento iniciado em 2020, denominado ‘Projeto Interlagos’, foi anunciado na cidade pelo presidente-executivo da Heineken no Brasil, Mauricio Giamellaro, em março daquele ano, para uma elevação de 75% na capacidade de produção. Na época, o valor anunciado da expansão foi de R$ 865 milhões, mas obras foram executadas no decorrer da pandemia, os custos de inúmeros insumos e matérias-primas subiram e o total aplicado na fábrica superou a marca de R$ 1 bilhão, concluído em 2021.

Conteúdo de marca

Quero divulgar right