Projeto desperta empreendedorismo em segundos anos

Vamos Ler

10 de dezembro de 2019 12:50

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Sequência didática proporciona dinâmica à turmas

Teatro e exposição dialogam sobre à Dengue

Dia da Síndrome de Down é destaque em turmas de Castro

Atividade dá sequência em trabalho sobre cores
Comunidade e alunos se unem contra à Dengue
Turmas ampliam conhecimento sobre Covid-19
Sistema Solar proporciona trabalho interdisciplinar em 5º ano B
PUBLICIDADE

Iniciativa, que ocorreu na Escola São Bento em Tibagi, envolveu as turmas B e C que puderam comercializar pastel na feira da instituição de ensino

Os segundos anos B e C da Escola Municipal São Bento em Tibagi participaram de um projeto de empreendedorismo na instituição de ensino. A professora Vanderli Aparecida Ribeiro Galvão destaca os principais pontos da iniciativa que contou com uma feira empreendedora nas dependências da escola.

“Iniciamos o projeto explorando o título do livro ‘Jovem Empreendedor’, cujo objetivo era despertar o interesse nos alunos para que, quando jovens, tornem-se empreendedores devido ao grande número de pessoas sem oportunidade de emprego em nosso país. Fazendo com que eles possam perceber as oportunidades e que, tendo ideias criativas, podem se transformar em um negócio próprio que gera renda familiar e não necessariamente precisam ser empregados, mas sim, com muita dedicação, comprometimento, podem ser donos do próprio negócio”, conta a docente.

O livro, elenca a professora, traz a importância das plantas e seus aromas, com leitura coletiva do livro e posterior roda de conversa para sugestões do que poderia ser vendido na feira. O tema trouxe interesse aos alunos, que plantaram cheiros-verdes na hora escolar para serem utilizados posteriormente no tempero da carne moída, recheio do pastel comercializado no evento.

“Após pesquisar e conversarmos com a turma, também pensamos em um nome para nossa barraca. Depois de tudo decidido, fomos a loja agropecuária que fica mais próxima da escola e compramos as mudas de cheiros-verdes que foram plantadas na horta escolar com ajuda da professora e mães de alunos. Na véspera da feira, os cheiros-verdes foram colhidos e usados para temperar a carne moída do pastel que ficou com um aroma maravilhoso: cheirinho de fome”, aponta Vanderli.

O gênero textual receita, cálculo mental, situações-problema envolvendo medidas, cédulas de dinheiro para preparar os alunos para participarem das vendas junto com a professora também foram trabalhados. Houve o convite a algumas mães que preparam a massa caseira do pastel, “que ficou uma delícia, muito crocante e apetitoso”, conforme relata a docente. Na feira, os estudantes participaram junto com a professora nas vendas das fichas, entregando pastéis e trocos de dinheiro.

“Esse projeto foi muito satisfatório. Os aluninhos participaram com bastante entusiasmo e autonomia, que eu fiquei surpresa porque não imaginava que eles gostariam tanto de terem participado. Os pais aproveitaram para registrar aquele momento dos filhos trabalhando na barraca. Uma mãe veio comentar que a filha, que é minha aluninha, chegou em casa dando sugestão para a mãe se tornar empreendedora, montando uma sorveteria”, complementa Vanderli.

A professora conclui observando a importância do trabalho. “Não apenas ensinamos, mas também aprendemos e acreditamos que as crianças podem empreender, basta despertar neles a curiosidade que o escritor Rubens Alves cita: que eles são capaz de transformar o meio onde vivem porque energia não lhes falta”, conclui. Confira, no blog escolar da Escola São Bento, esta e outras atividades na íntegra. Clique aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados