PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Indígenas mestrandos na UEPG conversam com alunos de 7º ano

Vamos Ler

02 de outubro de 2020 21:21

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Alunos interagem com professor peruano em aula de Espanhol

Alunos de Tibagi exaltam alimentação no campo

Alunos registram belezas da zona rural de Tibagi

Escola de PG homenageia professores e funcionários
‘Dia das Crianças’ traz interação e diversão em Tibagi
Aluna de Tibagi grava música em homenagem a professora
Indígenas mestrandos na UEPG conversam com alunos de 7º ano
PUBLICIDADE

Turma da Escola Elo Sagrado de Carambeí pôde aprender mais sobre os povos nativos e sanou curiosidades acerca do tema

O 7º ano da Escola Elo Sagrado de Carambeí, sob coordenação da professora Juliana A. Nunes, desenvolveu um trabalho sobre os indígenas na atualidade. O tema foi trabalhado com a participação de dois nativos brasileiros: Regina Kosi dos Santos, da etnia Kaingang, formada em História e que participa do mestrado de Estudo das Linguagens da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), e Alexandre Kuaray de Quadro, da etnia Guarani, formado em Geografia e que também realiza o mesmo mestrado na instituição ponta-grossense.

“No primeiro momento os estudantes entraram em contato com a cultura indígena antes e depois da chegada dos europeus através de aulas expositivas dialogadas. Dando sequência ao conteúdo e pensando na necessidade de descontruir a visão dos povos nativos como primitivos e que ficaram presos ao passado, foram convidados a participar da aula dois indígenas formados e os primeiros a ingressarem em um mestrado pela UEPG para que pudessem contar sobre sua trajetória pessoal e acadêmica”, destaca a docente.

Segundo a docente, através dessa entrevista, os estudantes entenderam mais acerca da cultura índigena, compreenderam que há diversos povos nativos, que as etnias possuem sua própria organização e forma de vida, além de descontruírem a visão difundida por alguns meios de comunicação que sinalizaram que os povos vivem na floresta como há cinco séculos, com a chegada dos portugueses no país.

“Além disso, os entrevistados trouxeram os desafios enfrentados pelos indígenas como o preconceito por parte da sociedade ao vê-los ocupando espaços de maior relevância social como as universidades, por exemplo. Ficou evidente na fala de ambos a luta diária pela valorização da sua cultura e a aquisição dos direitos que condizem a eles”, complementa Juliana.

Em conclusão e observância na relação dos alunos com a atividade, a professora citou que houve participação efetiva da turma, com questionamentos sobre como vivem os indígenas, a trajetória com vitórias dos entrevistados, sua formação e perspectivas para o futuro. Houve curiosidade por parte dos estudantes, com experiência de conhecer o tema, sanando suas dúvidas e acabando com estereótipos.

“Foi uma aula de extrema aprendizagem para todos e através dessa dinâmica os alunos também conseguem perceber que esse novo sistema de aulas on-line traz consigo vantagens como a participação desse casal em suas aulas o que talvez não seria possível em nossas aulas tradicionais/presenciais”, conclui a educadora.

Confira a atividade completa no blog escolar da Escola Elo Sagrado. Clique aqui.

PUBLICIDADE

Recomendados