PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Acrósticos auxiliam estudo do Setembro Amarelo em Irati

Vamos Ler

18 de outubro de 2021 19:11

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Prefeito e secretária exaltam conquista de turma em Ipiranga

Concurso do Vamos Ler premia alunos em Ponta Grossa

Vencedoras do Concurso em Castro exaltam premiação

Turma de Ipiranga é premiada com 'Melhor Blog' no Vamos Ler
Vitória de aluna é destacada por prefeito e secretária de Castro
Premiados em Piraí do Sul falam sobre vitória no Concurso
Aluna de Castro é premiada com vídeo sobre reciclagem
PUBLICIDADE

Tema foi amplamente debatido e estudado no 5º ano A da Escola Francisco Stroparo com utilização de edições de impressos locais

O 5º ano A da Escola Municipal Francisco Stroparo em Irati, sob coordenação da professora Maiele Padilha de Lima, desenvolveu um trabalho voltado ao Setembro Amarelo e suas características. A diretora Daniele Regina Santos comenta os principais aspectos e as atividades realizadas em torno desse mês de conscientização.

“O Setembro Amarelo é uma campanha criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio e, atualmente, vem ganhando forças, visto que o número de jovens que atentam contra a sua própria vida tem aumentado. Os motivos são vários: desde não ser aceito na sociedade até se achar feio, gordo, magro, entre outros”, aponta a gestora.

Assim, vendo a necessidade de trabalho com o tema, Daniele pediu às professoras dos quintos anos que debatessem o assunto com a turma, através da reportagem de um jornal local, com o objetivo de conscientizar a população acerca da importância do trabalho com o tema.

“Além de trabalhar com a imagem, a professora Maiele explorou os gêneros textuais e seus elementos. Uma roda de conversa foi formada e as crianças fizeram comentários sobre homofobia, mudanças no corpo, aceitação, falaram sobre suas angustias, medos e preocupações. Para finalizar, as crianças produziram um acróstico e montaram um painel para expor os trabalhos”, complementa a diretora.

Por fim, a gestora cita que a docente percebeu que, apesar não demonstrarem no cotidiano, os alunos precisam conversar e desabafar com pessoas em que confiam. “As crianças adoraram produzir os acrósticos e surpreenderam na escrita”, conclui Daniele.

Acesse o blog escolar da Escola Franciso Stroparo clicando aqui

PUBLICIDADE

Recomendados